<

quinta-feira, 15 de março de 2012

A CARRUAGEM DA MALA-POSTA

Em 1835, após a vitória definitiva do liberalismo, foi projetada uma nova ligação por estrada entre as duas principais capitais do reino.
Apesar de as obras avançarem com alguma regularidade, foi necessário aguardar pela metade do século XIX para que a nova estrada Lisboa-Porto fosse realidade.


Outro dos obetivos era o estabelecimento de um serviço de transporte regular de correio e, obviamente, de passageiros, então vulgarmente conhecidoo por MALA-POSTA.
Com a estrada Lisboa-Porto finalmente transitável, inicia-se em 1855, a carreira da mala-posta entre as duas cidades, a única cuja exploração proporcionou, de facto, resultados proveitosos do ponto de vista económico.


A viagem era efetuada de uma forma ininterrupta, descontando as paragens nas 23 "estações de muda", para troca de cavalos, descanso do pessoal e tomada de quatro refeições (ceia nas Caldas da Rainha, almoço em Leiria, jantar em Coimbra e ceia em Oliveira de Azemeis).
Para vencer os cerca de 3OO quilómetros entre Lisboa e o Porto, demorava 34 horas, sendo a velocidade média de 8,8 Km/hora.

A memória das diligências foi preservada no restaurante "POMPEU DOS FRANGOS", onde em tempos ficava a 16ª "estação de muda", no lugar de Malaposta, concelho de ANADIA.

AZULEJOS DA FÁBRICA DO OUTEIRO DE ÁGUEDA

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Powered by Blogger

-->

Referer.org