<

quinta-feira, 31 de maio de 2012

VOLVO OCEAN RACE 2O12

A MAIOR REGATA DO MUNDO ESTÁ A CHEGAR A LISBOA


As embarcações da Volvo Ocean Race chegam hoje à noite à Doca de Pedrouços.

Durante 10 dias a regata mais dura do mundo amarra-se à capital.


O vencedor da sétima etapa da Volvo Ocean Race é esperado em Lisboa pelas 22 horas de quinta-feira e terá direito a fogo de artifício e a uma curta cerimónia de consagração no palco da Race Village de Pedrouços.

O complexo que vai acolher os seis veleiros, que neste momento se aproximam da costa continental portuguesa, depois de completarem a travessia atlântica desde Miami, é inaugurado pelas 11 horas.

Na cerimónia estarão o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, o vice-presidente da Câmara de Oeiras, Paulo Vistas, a presidente da Administração do Porto de Lisboa, Natércia Cabral, o promotor do evento, João Lagos, e o administrador da Volvo Ocean Race, Knut Frostad.

MANIFESTANTES ATROPELADOS

Etiquetas:

EU

terça-feira, 29 de maio de 2012

Apeadeiro do Calhabé

É este o estado lamentavel do apeadeiro do calhabe. Quem não se lembra dos tempos em que ali fariamos paragem e concentração para ir para as aulas no D. João III ? Era o nosso ponto de encontro.
Hoje é um local de vergonha da geração dos anos 60.
O presidente da Junta de Freguesia de Serpins, João Pereira, sugeriu a venda dos submarinos da Armada Portuguesa para, com a receita obtida, habilitar o Estado a honrar os seus compromissos assumidos no tocante à reconstrução da Linha da Lousã.
A sugestão de João Pereira ocorreu depois de membros do gabinete do secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, terem invocado falta de dinheiro para dar continuidade às obras do projecto que foi concebido como alternativa ao centenário Ramal Ferroviário da Lousã.

Publicada por calhabécirculação

Canta canta

segunda-feira, 28 de maio de 2012

COIMBRA em 2003 - Capital Nacional da Cultura

PERGUNTA LÓGICA

O avô conta ao seu neto João as grandes mudanças que aconteceram na sociedade, desde a sua juventude até agora...


« Sabes, João, quando eu era pequeno, a minha mãe dava-me dez escudos = (+/-)5 cêntimos hoje, e com isso mandava-me à mercearia da esquina.
Então eu voltava com um pacote de manteiga, dois litros de leite, um saco de batatas, um queijo, um pacote de açúcar, um pão e  uma dúzia de ovos..!"
E o João respondeu-lhe:
«Mas avô, na tua época não havia câmaras de vigilância?»

Etiquetas:

domingo, 27 de maio de 2012

Grupo de Fados Porta Ferrea

LUCAS RODRIGUES JUNOT (1902 - 1968) - Cantor



Lucas Junot: Um Brasileiro a Cantar Coimbra[i]
(Texto com base na investigação do Rui Lopes, feita no ano de 2005)

Lucas Rodrigues Junot nasceu em Santos, Brasil, a 20 de Janiro de 1902. Filho de emigrantes portugueses em terras de Vera Cruz e morre na mesma cidade brasileira, a 29 de Agosto de 1956.
É em Santos que aprende as primeiras letras e faz os primeiros estudos até que em 1914 a família decide regressar a Portugal, instalando-se em Coimbra junto às escadas do Quebra-Costas onde habitará antes de se mudar para Montarroio. Segundo Jorge de Cantanhede é para saber onde ficavam as míticas escadas do Quebra-Costas que Lucas Junot abordará pela primeira vez um polícia em Portugal, que o terá amedrontado um pouco.

Já instalado em Coimbra, é nesta cidade que frequentará o Liceu até ingressar no Curso de Matemática na Faculdade de Ciências, em 1922. Porém, já nesta época algo o destacava: cantava Fado de Coimbra quando ainda era “bicho”. Fará parte da Tuna Académica da Universidade de Coimbra, participando nas famosas tournées a Espanha (1922) e ao Brasil (1925).

A cantar Coimbra destacava-se pela sua voz característica, que Artur Paredes lhe viria a dar o epíteto de “Gata Miadeira”. Cantou muitas Canções de Coimbra, como por exemplo: Fado dos Passarinhos (Passarinho da Ribeira), Fado Sepúlveda, entre outros, em que se acompanhava ele próprio à guitarra. No entanto, ficará mais conhecido por ser o autor do célebre Fado de Santa Clara (eu ouvi de Santa Clara …), que segundo Divaldo Gaspar de Freitas terá sido inspirado ao passar a ponte de Santa Clara a olhar para Santa Clara.
Deixaria para a posterioridade vários discos de setenta e oito rotações que foi gravar a Londres.
Contudo, também continuava a cursar Matemática concluindo o curso em 1927. Paralelamente ao curso de Matemática, também namorava aquela que seria a sua futura esposa: Eugénia Gaupin de Abreu e Sousa.
Segundo Maria Isabel Cabral Moncada Cordeiro, que vivia com a tia Eugénia em Abrantes, Lucas Junot ia de comboio de Coimbra a Abrantes namorar a sua tia, fazendo-se sempre acompanhar da sua guitarra em que fazia grandes serões a tocar e a cantar no quintal da casa. Nesse mesmo ano, ter-se-á casado com a D ª Eugénia, num casamento de que nasceram três filhos: um rapaz e duas raparigas, e rumou a Luanda onde trabalhou no Banco de Angola. Porém, o seu desejo era regressar ao Brasil Natal, pelo que regressou a Portugal e no ano seguinte rumou para Santos.

Divaldo de Freitas, refere que ao chegar ao Brasil, quando perguntaram ao carregador de quem era a bagagem que transportava este respondeu, apontando para Lucas Junot: São daquele português! Chegava ao Brasil ao ponto de ser confundido com um português, porque levava Coimbra para o Brasil.
Instalou-se em Santos, mas também trabalhou no Rio de Janeiro e em S. Paulo, tendo feito parte da Academia de Ciências.

Já a trabalhar no Brasil havia algo que mexia sempre com o seu coração: Coimbra! Que fazia tenção de rever antes de deixar esta vida e sempre que Divaldo de Freitas vinha a Coimbra dizia-lhe: abrace Coimbra por mim!. Pois sempre que havia encontros de Antigos Estudantes de Coimbra ou algo relacionado com Coimbra, Lucas Junot era sempre presença assídua. Pois, quando foi fundada a Associação dos Antigos Estudantes de Coimbra no Brasil, Lucas Junot foi um membro fundador e dos membros mais activos desta.

Em 1967, cumpriu-se o desejo de rever Coimbra ao ter ganho uma Bolsa da Gulbenkian. Regressou a Coimbra, tendo ficado admirado com tudo, pois, não podemos esquecer que quando Junot foi para o Brasil ainda era o tempo da Velha Alta de Coimbra. Além disso, também aproveitou o seu tempo em Portugal para visitar os seus contemporâneos da Universidade de Coimbra. Quando esteve em Lisboa, também visitou a loja da Valentim de Carvalho na baixa lisboeta, em que perguntou se ainda tinham algum disco do “Rouxinol do Mondego” (nome pelo qual era conhecido nos seus tempos de Coimbra). Disseram-lhe que tinham um disco mas que era uma relíquia da casa, pelo que não o venderiam a ninguém, a não ser que o próprio Lucas Junot lá fosse. Foi então que Junot mostrou o passaporte e se identificou, pelo que acabaram por lhe oferecer o disco.

Segundo Maria Isabel Cabral Moncada Cordeiro, também visitou Santarém tendo estado na sua casa e ido junto à sepultura de Pedro Álvares Cabral. Esta senhora, acompanhou os tios ao aeroporto onde os salvou de não poderem embarcar devido a uma taxa de cem escudos que era necessário pagar e eles apenas tinham dinheiro brasileiro que ninguém queria trocar, pelo que lhes facilitou os cem escudos e os tios embarcaram para o Brasil.

Tinha cumprido o seu sonho: rever Coimbra antes de falecer! Pois, no ano seguinte, faleceu a 29 de Agosto em Santos, tendo sido sepultado no cemitério de Paquetá no dia seguinte, enquanto que a sua viúva ainda viveria muito tempo, pois, faleceu há dois anos em Santos com noventa e sete anos de idade.
Desta forma, resta-nos o seu memorial através dos discos e do seu espólio de Coimbra que se encontra no Museu Académico, onde a sua filha e neta vieram há cerca de seis anos doar ao Museu a Guitarra, a Capa, uma Fotografia, Discos, e as Fitas de Curso.
Para terminar, deixo também a letra das mais célebres Canções de Coimbra que Junot cantou.

PASSARINHO DA RIBEIRA

Passarinho da ribeira
Se não és meu inimigo
Empresta-me as tuas asas
Deixa-me ir voar contigo

Ao longe cortando espaço
Vai um bando de andorinhas
Que te levam um abraço
E muitas saudades minhas

FADO SEPÚLVEDA

Dizem que amar é viver
Mas mesmo morte que fosse
Que me importava morrer
Pois se o amar é tão doce

Se os meus olhos te incomodam
Quando estão à tua frente
Eu prefiro arrancá-los
Para te amar cegamente

FADO DE SANTA CLARA

Eu ouvi de Santa Clara
Gemidos de alguém que chora
Era a Rainha pedindo
Por mim a Nossa Senhora

Aos pés de Nossa Senhora
Rezando pedi-lhe um dia
Que não rezasse chorando
Que os anjos entristecia

[i] Rui Pedro Moreira Lopes. Licenciado em História e Pós Graduado em Ciências Documentais (Arquivo) pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Guitarra de Coimbra do Grupo de Fados de Coimbra

sábado, 26 de maio de 2012

Serão estes que vamos defrontar na Super Taça?


è que ja jogamos contra estes , este ano umas 4 ou 5 vezes. Foi demais.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

MIDWAY ISLAND - Oceano Pacifico Norte

La courte vidéo que vous allez voir (3:55) montre une île qui se trouve en plein océan Pacifique, à 2000 kms de toutes côtes.
Sur cette île, personne n'habite, il n'y a que des oiseaux, et pourtant...
Regardez ce qui se passe
Un petit film que tout le monde devrait voir et en tirer des conclusions...

video

Etiquetas:

Coimbra em Postais Antigos

quinta-feira, 24 de maio de 2012

E o Ze Fugiu ...

segunda-feira, 21 de maio de 2012

E FOI ASSIM...

O GRANDIOSO DIA

13HOO - Salutar confraternização


14H3O~Estádio vazio


Família



Início do espetáculo



Apresentação dos jogadores


A Estudantina e o público, já ao rubro, entoando "Coimbra é uma Canção"





PROMESSA CUMPRIDA

Eu disse que ia buscar a Taça depois de recuperar as pernas,com a ajuda de uma massagista tailandesa.Regressarei com os pormenores


Missão cumprida

RUI LUCAS

A MINHA FOTO

ESTAMPADA NUM ROSTO A ENORME PAIXÃO PELA ACADÉMICA.


VIVA A ACADÉMICA!!!!

NelaCurado

FINAL DA TAÇA

















fotos
NelaCurado

A Tradição foi mantida....


domingo, 20 de maio de 2012

FINAL DA TAÇA - Gente conhecida no Jamor


Neste momento de alegria para muitos dos meus amigos, permitam-me uma palavra especial para o Ernesto, que nas noites em dia de semana se sentava  na cadeira ao meu lado na Brotero, e ao domingo ía jogar ao lado do Artur Jorge, um dos mais famosos pares de pontas de lança do nosso futebol.
O Ernesto foi-se embora sem nunca me ter devolvido a sebenta de Mecânica Técnica que lhe emprestei. À sua  memória esta vitória

Académica

Tal como há 73 anos

São horas de emalar a trouxa
Boa noite Tia Maria
Que a malta ganhava a Taça
Já toda a gente sabia

sábado, 19 de maio de 2012

JAMOR

ULTIMAM-SE OS PREPARATIVOS





Sob a observação de alguns Academistas que já visitavam o local.
Foi aí que entabulei conversa com um jovem que se apresentou como sobrinho de Wilson.
Os jogadores já estão pertinho de mim, num Hotel Real Oeiras

Palavra puxa palavra, e lá se passaram agradáveis minutos, cujo tema só poderia ser-ACADÉMICA DE COIMBRA.

Se os astros, a sorte e a competência o permitirem...

O espetáculo vai ser bonito de se ver!!!

Referer.org