<

sábado, 31 de outubro de 2009

MÁRIO MEXIA.UM ATLETA DE ELEIÇÂO



Académica de luto: Faleceu Mário Mexia 09-10-30 15:10 AAC/OAF
A Académica está mais pobre. Mário Mexia, um dos melhores basquetebolistas portugueses de todos os tempos e que defendeu com tanto amor e dedicação a camisola da Briosa, faleceu ontem à noite, aos 72 anos, vítima de doença.Mário Pais Mexia Leitão era natural de Coimbra e licenciou-se em Biologia, seguindo depois a carreira de director industrial. No desporto, o basquetebol era a sua grande paixão.Ao serviço da Associação Académica de Coimbra, Mexia realizou 13 temporadas, um total de 372 jogos, nunca sofrendo qualquer sanção disciplinar. Ao serviço da Selecção Nacional, Mário Mexia foi 14 vezes internacional (4 pelos juniores, 10 pelos seniores), chegando também a participar na Taça dos Clubes Campeões Europeus e nos I Jogos Luso-Brasileiros.A sua mais-valia desportiva mas também pessoal valeu-lhe 3 condecorações: em 1964, a Medalha de Mérito Desportivo da Federação Portuguesa de Basquetebol e a Medalha de Bons Serviços; em 1991, a Medalha de Mérito Desportivo.Nascido a 11 de Dezembro de 1936, Mário Mexia deixa-nos a 29 de Outubro de 2009, depois de ter dedicado grande parte da sua vida à Académica.
do site oficial da AAC/OAF
-->

Este já conheço

Uma vazia a outra cheia,
ou será uma cheia, e a outra vazia.
O vinho não é bom, com a garrafa vazia.
Um Abraço.
Tonito.

QUITO PEREIRA AFINAL É FAMOSO

Eurico Pereira vence concurso de guitarra em Londres

O guitarrista português Eurico Pereira venceu a Competição Internacional de Música de Londres 2007, uma iniciativa do Anglo-Czechoslovak Trust que decorreu a 23 e 24 de Junho na capital britânica.

Realizado na Igreja de Santo André, o evento contou com a participação de músicos de mais de 15 países, em sete categorias: cordas, guitarra, canto, piano, metais, madeiras e ensembles.

O primeiro português a vencer este concurso, Eurico Pereira deslocar-se-á em Novembro a Praga, para dar um concerto, no dia 28, no Auditório Martinu do Palácio Lichtenstejn.

Eurico Pereira iniciou os estudos de guitarra aos 9 anos e foi o único aluno a obter nota 20 no exame final do Conservatório de Lisboa, tendo continuado a estudar na Universidade de Évora.

Em 2002, foi lançado um álbum intitulado "4 Compositores Portugueses", com peças executadas pelo músico de obras que lhe foram dedicadas por prestigiados compositores.

O guitarrista foi convidado para frequentar a Academia Real de Música em 2003, com uma bolsa completa, pela direcção das Escolas Reais de Música, tendo-se tornado aluno do mestre da guitarra Michael Lewin.

Participou em vários festivais no estrangeiro e, mais recentemente, fez uma digressão por Portugal, com o patrocínio da Fundação do Oriente.

Etiquetas: ,

D. RAFAEL SURPREENDE CAVALINHOS

Para quem pensava que Fernando Rafael apenas Organizava grandes Rotas Gastronómicas, Encontros de Cavalinhos, e Excursões de Caminhetas desengane-se. Além do Vinho Tinto de Penela, também é um grande produtor de Vinho do Alentejo e dono de uma herdade que faz inveja aos maiores Latifundiários, DOM RAFAEL não pára de colocar ao serviço da população as suas energias.
Aqui fica a informação sobre a pomada que eu recomendo vivamente, com uma garrafa de 2007 mesmo à minha frente.

Tipo: Tinto

Designação: DOC
Região: Alentejo
Ano: 2006
Teor alcoólico: 14,5%
Castas: Aragonez (20%) + Trincadeira (40%) + Alicante Bouschet (40%)
Estágio: estágio durante em barricas de carvalho de um ano e mais seis meses em garrafa.
Servir a: 16º/18ºC
Nota de Prova: o vinho mostra uma cor granada e um aroma com notas de frutos negros, especiaria e algum chocolate negro. No seu conjunto mostra equilíbrio, frescura e uma longa e agradável persistência.

Etiquetas: ,

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

PEDRO TIAGO SARMENTO - FAZ HOJE 20 ANOS

PEDRO TIAGO SARMENTO
30-10-1989











20 Anos

O
Blog do Cavalinho Selvagem, deseja-lhe muitos parabéns, muitas felicidades e muitos anos de vida.


Etiquetas: ,

MARIA JOÃO SARMENTO - FAZ HOJE 61 ANOS

MARIA JOÃO (JUCA) SARMENTO
30-10-1948














61 Anos

O
Blog do Cavalinho Selvagem, deseja-lhe muitos parabéns, muitas felicidades e muitos anos de vida.



Etiquetas: ,

PARA TI, JUCA

Neste dia de aniverário, uma flor para ti, Juca. De amizade e gratidão. Tu sabes bem porquê...
Parabéns ...
São e Quito

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

GOOGLE HOMENAGEOU ASTERIX


O Cavalinho Selvagem homenageou o Asterix, e o Google, invejosos deste Grande Espaço Informativo que somos nós, vai daí e faz a mesma coisa.
PLÁGIOOOOOOO

Etiquetas: ,

ALDEIAS HISTORICAS - Oferta do Dr. Pereira Neves.

Em 1996 e numa volta que dei pelo interior do país, tive a oportunidade de conhecer e estar com o Dr. Pereira Neves que me ofereceu o exemplar nº8 do seu livro sobre as Aldeias Históricas.
Já o referi aqui anteriormente, que a Aldeia que mais me encantou foi Idanha-a-Velha.
Passarei de tempos a tempos a apresentar partes deste livro sobre Idanha e as outras Aldeias, tratadas neste livro.

Etiquetas: ,

Asterix faz hoje 50 anos

ASTERIX
29 de Outubro de 1959













50 Anos
O
Blog do Cavalinho Selvagem,
deseja-lhe muitos parabéns,
muitas felicidades e muitos anos de vida.

Etiquetas: ,

ANIVERSARIANTES DE OUTUBRO


Para que o pessoal comece a preparar as prendas

As melhores colheitas são de Outubro (quem disse)?


Nela Curado - 02.10.1945
Jorge Luis L. Costa - 07.10.1946
Benjamim F. Santos Hill - 07-10-2006
António (Tó ) Branco - 09.10.1949
Mela Curado - 09.10.1943
Rui Felício - 09.10.1944
Olinda Rafael -10.10.1942
Sergio Henrique F. Santos - 10.10.1976
Titá Quaresma - 11.10.1947
Quito Pereira - 14.10.1949
Toni Oliveira - 14.10.1946
Álvaro Apache - 15.10.1946
Maria Fernanda (Nanda) Melo e Matos - 17.10.1946
Pedro Sarmento - 21.10.1958
D. Maria Herculano Curado - 22.10.1919
Teresa Lousada - 24-10-1941
Carlos Costa (Faz Tudo) - 24.10.1948
Asterix - 29-10-1959
Pedro Tiago Sarmento- 30.10.1989
Maria João (Juca) Sarmento 30.10.1948


Nota:
Mais um novo balancinha. O Toni que foi da Académica , do Benfica e da Selecção Nacional e que morou na Praça do Clube.



Etiquetas: ,

MODA EM NEW YORK




Sapatos e botas têm sola vermelha
De 5OO aos 2OOO $US

J.Leitão

Etiquetas: ,

HOMENS QUE EU CONHEÇO


NelaCurado

Etiquetas: ,

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Quem compra?

Com os contadores de electricidade e água nas normas da lei.
Um Abraço.
Tonito.

Simplesmente...FANTÁSTICA!!

NEW YORK - 2008/2009






NYC
Jose Leitao

MAIS LATADA

Veio-me à memória o dia da minha primeira "latada"!
A cabeça de um velho é um bocadinho complicada.Está sempre a ver passar "filmes" antigos
Nesse tempo,em 1961,os cortejos da latada eram por Faculdade.
Havia quatro cortejos,em dias diferentes.
O de Medicina e Farmácia

O de Direito
O de Ciências
O de Letras

Comecei o dia com uma aula de Direito Constitucional,com o Prof.Dr.Carlos Moreira.
Como era dia de "latada",fui para a aula com uma vestimenta mais aligeirada:uma camisola de gola alta vermelha,umas calças pretas,uns botins pretos e...a minha jóia:um blusão de cabedal preto,cheio de fechos(à James Dean)!
As miudas das Letras não queriam ver outro caloiro!
O Prof.Dr.Carlos Moreira é que não gostou da indumentária!
Quando olhou para mim,durante a aula,pôs-me na rua!!!
Disse-me que aquela Escola não permitia a presença de teddy-boys!!!
Outros tempos e outros costumes.

Até tínhamos aula no dia da "latada"...

aminhapele

Etiquetas: ,

UM ADEUS PORTUGUÊS


Cabelo branco, rugas na testa, rosto tisnado pela inclemência do sol e do mar. Chama-se António Conceição. Um dia, sem familia, saíu do Funchal e desafiou o mar alto num pequeno barco que construíu. Navegou dia e noite contra ventos e marés. A Puerto Mogan aportou e ali refez a vida. Por escassos minutos nos encontrámos. O tempo suficiente para me contar quase oito décadas de vida de mais este herói anónimo de Portugal. Nosso conterrâneo. Nosso irmão. Um texto no blogue lhe dediquei. Agora fica a foto deste marinheiro, antes de darmos o primeiro e derradeiro abraço. Dificilmente nos voltaremos a ver. Foi um adeus emocionado. Um adeus português...
Quito

A ISABEL Melga viu e comentou...a Latada

Uma Cidade parada e bloqueada! Nem tanto seria preciso! Digo eu....
Coimbra é na verdade uma cidade relativamente pequena, mas quando ficamos sem carro sem transportes e sermos obrigados a subir pelas velhas pedrinhas das calçadas com saquinhos ou malinhas, essas mesmas ruelas não se tornam assim tão típicas nem românticas…Cheguei tarde e com dificuldade pelo meu pé, até onde tinha de ir; a multidão muito “desalinhada” os carros dos supermercados guiados pelos ditos caloiros que pareciam frangos depenados, as garrafas no chão, as famílias sobretudo população mais idosa e que não seria da cidade talvez apenas de visita tentando ver um neto ou o seu filhinho num desfile lindo…estavam (bem, nem sabíamos se eles estavam a sorrir ou iriam fugir…pareciam de boquinha aberta)! As meninas com a garrafita na boca ou a fazerem uma tenda com as capas para verterem águas, eles encostados às árvores idem! Enfim, Coimbra não parecia uma cidade pequena e muito menos serena. A loucura tinha descido ao Burgo! Confesso que em certas zonas a confusão era mesmo excessivamente descontrolada embora milagrosamente sem incidentes pelo menos até à hora em que passei por esta multidão chamada o “Cortejo da Latada”. Sei que não se pode comparar pelo número de estudantes que aumentou e pelos comportamentos sociais que se alteraram. Eu vi dezenas de Latadas, participei em algumas mas não me enganaria muito se me atrevesse a afirmar que talvez nos divertíssemos mais e que as piadas encerravam mais conteúdo e humor. Actualmente esta amálgama de carnavalesco e muito vinho quebra a inspiração desta malta e haveria tanta coisa com que poderiam gozar e criticar…Mas é certamente por tanto dia de festança e por tanta destemperança e só por isto, que ainda Coimbra é a preferida para os meninos e meninas romperem com os seus preconceitos e os seus recalcamentos. Eles sentem que isso os faz crescer e libertar! Não sou nem nunca fui contra as Festas, a juventude tem o sangue na guelra e até nós gostamos. Estes acontecimentos dão vida à Cidade e talvez algum lucro e digo talvez. Não será para todos. No entanto e se me permitem penso que se está a exagerar na “dose” de muita coisa devido a tantos dias de Festas, é um desfalque nos bolsos deles e no dos Pais e muito desperdício de tempo... Defendo que se deve viver a vida académica e não é só com os livros que amadurecemos... Mas também com muitos eventos a “granel” acontecem imprevistos bem negativos! A maioria da rapaziada nem está preparada para tanta oferta sob todos os pontos de vista! Sobretudo os relacionados com os excessos de tanta euforia... Finalmente uma referência bem agradável, logo a seguir ao desfile daquela multidão uns oito carros grandes do lixo outros tantos pequenos de aspirar e umas largas dezenas de funcionários da Câmara iam deixando tudo arrumadinho. Gostei! Bem vou embora, já falei muito e talvez não do agrado de muitos de vós. Por acaso para quem andou por cá a pé, o tempo ameno foi uma bênção, o mesmo não direi pela sede que provocou a esta maltita…
Isabel Melga

Etiquetas: ,

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Constança Cunha e Sá não apreciou Saramago

Causas e Consequências - Hino à ignorância
O livro de Saramago é como o vídeo de Maitê Proença: um hino vivo aos píncaros da ignorância.
Especialista em pequenos golpes publicitários, Jose Saramago lançou, esta semana, um livrinho sobre Caim que o próprio, com a sua reconhecida modéstia, considera ser um exercício "divertidíssimo" contra "toda e qualquer religião".
Tendo em conta este nobre objectivo, o escritor usou a apresentação de Caim para debitar umas opiniões firmes sobre Deus, a Igreja e a Bíblia, em particular sobre o Antigo Testamento, que ele notoriamente não conhece.
Como a ignorância é livre e, em Portugal, tem mesmo direitos de cidadania, Saramago não se coíbe no que toca aos mais improváveis disparates. Com a profundidade de uma poça, garante solenemente que a Bíblia é "um manual de maus costumes", impróprio para crianças, que tudo o que lá está é "absurdo e disparatado"; que Deus, embora não exista, deve ser devidamente responsabilizado por todos os males da humanidade; que a "insolência reaccionária" da Igreja tem que ser combatida com a "insolência da inteligência viva"; e que o Papa é "cínico" por "ter a coragem de invocar Deus (…), um Deus que ele jamais viu e com quem nunca se sentou para tomar café".
Ou para comer um croquete, já agora, com um cigarro pelo meio e meia dúzia de piadas a rematar.
Do que aqui fica dito, percebe-se que para Saramago a Bíblia é uma espécie de romance de cordel para adultos, recheado de imoralidades várias que não se compadecem com a doce inocência da infância. A ideia de que um livro sagrado, não sendo fácil de interpretar, tem uma chave de leitura que exige um conhecimento profundo da história, da geografia, da língua e do fenómeno religioso é-lhe manifestamente estranha.
Saramago, como é óbvio, dispensa esse tipo de qualificações. Para falar sobre a Bíblia basta-lhe uma leiturinha pela rama, meia dúzia de frases ocas e a necessidade de criar uma conveniente polémica que o ajude a vender o livro que escrevinhou em tempo recorde. Desta vez, as suas esperanças depositam-se nos judeus – já que os católicos, segundo o próprio, não perdem tempo a ler o Antigo Testamento e não podem, portanto, fazer-lhe o jeito e contribuir para o sucesso editorial da obra.
Confesso, no entanto, que não vejo razões para grandes polémicas ou para fundadas indignações. As diatribes de Saramago são como o vídeo de Maitê Proença: um hino vivo à ignorância.
Constança Cunha e Sá, Jornalista

Etiquetas:

ESTÓRIAS ANTIGAS


A propósito da foto do nosso Bairro em tão recuados tempos, lembro-me de uma estória verídica que ainda hoje é contada em reuniões familiares.
Moradora, então, na Rua Ferreira Borges, na chamada Baixa coimbrã, minha mãe, mulher bonita e preocupada com a sua aparência, teve um dia um pequeno precauço.
Na sua linda cabeleira, uma rodelinha rosada foi causa de alguma preocupação.
Medicada, todos os dias antes de sair para a rua, preparava com reforçado cuidado esse pedaçito de couro cabeludo, tapando-o com especial desvelo em penteado escolhido para a ocasião.
Minha irmã, bem pequenina, assistia perplexa a tal azáfama diária.
Ora o Bairro para onde futuramente iria morar estava já em fase de acabamentos.
Certo dia, toda a família encorajada por belo dia solarengo, dispôs-se a calcorrear a longa distância para o visitar.
Ficava lá para os lados do Calhabé, já nos confins da cidade.
Chegados após longa caminhada, é com certo entusiasmo que percorrem as sucessivas ruas bem delineadas , onde lindas vivendas vão tomando seu lugar.
Observando, vão caminhando tentando captar todos os pormenores.
De súbito, meu pai que encimava o grupo, sentindo um ruido, olha para trás.
Minha mãe, como por encanto desaparecera, enfiando-se mum buraco destinado ás canalizações.
Lá estava ela no fundo, sã e serena.
Contudo, um grito de criança chorosa e horrorizada ecoa no ar.

-Mãezinha !!!! Tapa... Tapa!!!! Olha a careca que se está ver!

Coisas de MULHERES!
NelaCurado

Etiquetas: ,

LATADA - FESTAS DAS LATAS- COIMBRA



Hoje também estivemos envolvidos nesta festa de Estudantes de Coimbra...desta vês uma neta
vai aqui metida neste "maralhal" de juventude bem animada!
LATADA DE COIMBRA
As Latadas começaram no século XIX quando os estudantes exprimiam ruidosamente a sua alegria pelo termo do ano lectivo em Maio. Utilizavam para isso todos os objectos que produzissem barulho, nomeadamente latas.Nos anos 20, as Latadas ocorriam no final do ano lectivo, para remate das festas da Queima das Fitas. Foi a partir dos anos 50/60 que as Latadas passaram a ocorrer não no termo do ano lectivo mas sim no início, coincidindo com a abertura da Universidade, e a chegada da população escolar de férias, o que dava à cidade um clima eminentemente académico.«Depois da imposição das insígnias, organizava-se um cortejo por cada Faculdade, em dias diferentes. Após o reatamento das Tradições Académicas de Coimbra em 1979, passou-se a realizar apenas uma cerimónia de imposição de insígnias e um cortejo englobando todas a Faculdades. Esta alteração, em relação ao que se fazia nos anos 50/60, ficou a dever-se não só ao aumento do nºde estudantes, como também ao aumento do nºde Faculdades, o que tornava dificil a realização de latadas por Faculdades.Actualmente, os caloiros, incorporados no cortejo, vestem se consoante a fantasia pessoal ou com a batina do avesso, transportando cartazes com legendas de conteúdo crítico, alusivos à vida circulum-escolar e/ou nacional sem excluir a internacional. Os caloiros deverão seguir em duas filas paralelas, com os padrinhos (doutores da praxe) no meio que devem ter um comportamento digno de um estudante de Coimbra, dando o exemplo aos Caloiros que estão a iniciar-se na Praxe Académica. O espírito criativo e irreverente, característico do estudante da Universidade de Coimbra, deverá ter na latada um dos seus pontos altos.
(Texto de Vitor Ramalho)

A QUINTA DO BÚZIO

(memórias de um fim de tarde)
Por uma rua estreita, desço ladeira abaixo em direcção ao fundo do povo. Naquele fim de tarde, vou cumprimentando os residentes. Do lado esquerdo uma oficina de ferreiro. Entro. Lá dentro, debruçado sobre uma banca corrida, o Virgílio nem dá conta da minha presença. Com um lápis, risca minuciosamente um molde para uma peça em ferro que vai fabricar. A concentração e o rigor são essenciais à arte. Do bolso traseiro do fato-macaco tira uma fita métrica e é então que dá pela minha presença. O lápis recolhe para trás da orelha, e apertamos a mão com vigor. Falamos de assuntos variados, desde a seca prolongada, às preocupações com os nossos filhos, ele que tem uma filha a residir em Coimbra. Pergunto-lhe então pelo portão que lhe encomendámos para o “Chão da Barreira”. Ficará pronto breve – diz-me. Despeço-me então e regresso à rua. Passo pela mercearia da Norita que me vê e me acena com a mão, a sorrir. Dobro depois a esquina e entro na oficina do Txico Sapateiro. Damos dois dedos de conversa. Espontaneamente, pede-me os sapatos. Engraxa-os um a um, alternadamente, enquanto vai conversando. No fim, quero pagar o trabalho, e ele diz-me com aqueles olhos pequeninos e brilhantes e um sorriso nos lábios:
- Paga-me com a amizade….
De novo regresso à rua. Curvo à direita e cem metros à frente o fontanário da aldeia, construído em 1937. Com a água a jorrar da bica, sento-me e vou-me refrescando.
Por uma estreita viela, chego à rua do Quelhito. Passo junto ao pátio e telheiro do falecido Duarte Ferrador e entro numa casa, hoje desabitada. Subo ao terraço. Os olivais estendem-se a perder de vista, e, ao longe, a contra-luz, a Serra do Moradal.
E foi ali, sentado num banco de pedra, que me lembrei do “Ti” Raimundo. Um dia, precisamente naquele local, falou-me da “Quinta do Búzio”, que na época de cinquenta dava trabalho a muita gente. Recordou a sua primeira função de “aguadeiro” e de “tirador” de raízes bravas das parreiras, depois de cavadas. Mais tarde de cavar de sol a sol. Alguns, já no Outono da vida, chegavam ao fim do dia “com os braços dormentes e os corpos exaustos”. Ao Sábado, recebiam a magra “féria”, que por vezes nem chegava para pagar ao moleiro a “taleiga” da última cozedura de pão centeio ou de milho. No fim, o Zé Martinho, por ordem dos patrões, mandava dar uma “pingorrada” aos trabalhadores. Uns bebiam vinho, outros, jeropiga, relembrava este homem simples, alto e esguio, que de chapéu pousado nos joelhos, ia olhando quase absorto e por momentos em meditativo silêncio, os extensos olivais.
Por vezes, o António Duarte trazia o jornal “O Século” e o Valentim, o único que sabia ler, lia soletrando, e assim sabíamos as notícias do mundo – acrescentava...
E hoje, 30 de Julho de 2009, data em que vou alinhando estas simples palavras para que façam algum sentido, relembro o “Ti Raimundo”, que atingiu a bonita idade de noventa anos, e descansa das agruras de uma vida de martírios no cemitério de Juncal do Campo.
Agora, que da Serra do Moradal já só avisto um poente incendiado, regresso a casa, meditando na vida de todos aqueles que, de sol a sol, mourejavam na “Quinta do Búzio” por um salário de miséria, em que a fome e o sofrimento não eram palavras vãs.
Este singelo e mal alinhavado texto, foi feito em sua homenagem. Dos que de si deram tudo. E em troca tiveram nada.
Quito

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

RUA DE MOÇAMBIQUE


Talvez esta seja a fotografia que até agora mais mostra, o remoto esplendor do PINHAL de MARROCOS. Eu, Manuela Curado e meu primo, na RUA Y, nº 15, do BAIRRO MARECHAL CARMONA. (Actualmente Rua de Moçambique, 194, Bairro Norton de Matos). Nesse olival delicioso, atravessando a rua, fazíamos os nossos deliciosos e inesquecíveis piqueniques e os nossos diversos jogos e brincadeiras, sem carros, sem roubos,e sem perigos.
Havia apenas uma vivenda junto ao, hoje vetusto, sobreiro.

Assim era o nosso real cantinho.
Que saudades, DEUS meu.

NelaCurado

Etiquetas: ,

Fado da Associação Académica sem apoio

O presidente da Secção de Fado da Associação Académica de Coimbra criticou, a falta de apoio da autarquia, sobretudo no que respeita à escola de música, com mais de 100 alunos. Para Hugo Ribeiro, há diferenças de tratamento.

"Entristece-nos que a nossa cidade não veja nem aposte naqueles que são os grandes executantes da canção de Coimbra", atirou o responsável, numa conferência de imprensa, no edifício da AAC, em que esse nem era o tema.

Hugo Ribeiro mostrou-se indignado com o facto de existirem "escolas de fado, em Coimbra, apoiadas pela autarquia em milhares de euros", enquanto a dos estudantes "não tem apoio, nem financeiro, nem de qualquer tipo".

O presidente da Secção de Fado sublinhou, ainda, que a escola de música, além de ter mais alunos que as outras - universitários, mas também crianças e séniores -, oferece "preços muitos mais acessíveis". Uma aula pode ir dos 8 aos 15 euros, consoante se trate de sócios ou não.A incompreensão de Hugo Ribeiro, face à inexistência de apoios, aumenta quando sabe que há pelo menos quatro autarquias do distrito de Coimbra abertas a ajudar: Vila Nova de Poiares, Arganil, Penacova e Cantanhede.

Esta última já garantiu uma verba de cinco mil euros. Em troca, a Secção - que inclui oito grupos musicais -, compromete-se a dar entre 15 a 20 espectáculos, no espaço de dois anos.

A Câmara de Coimbra, pelo contrário, não respondeu à proposta do núcleo académico, que pedia um investimento anual, de 15 mil euros, na escola. Algo que, de acordo com Hugo Ribeiro, está "abaixo de todos os valores a que as outras escolas têm direito".O presidente da Câmara de Coimbra, Carlos Encarnação, garantiu um apoio, no próximo ano, assumindo tratar-se de uma situação "injusta". Mas ressalvou: "Além de subsidiarmos a AAC, subsidiamos as secções. As outras autarquias não subsidiam a AAC no seu todo".


Etiquetas:

Pinga Amor....noites no "picadeiro" Bairro MC

Um Pinga Amor

Isto das 1ªs "paixonetas" tem que se lhe diga! A recordar...bela noite de Verão, no picadeiro do Bairro!
Após várias "piscinas"...e como andava a "arrastar a asa" a umas "saias", com uns olhos lindos e uns cabelos longos e lisos...nada como uma flor para impressionar a "donzela"! Sabia que perto da Praça de Ceuta havia um jardim muito bem cuidado e com umas roseiras que davam uns botões de rosa mt lindos! - Sem que ninguém desse pela ausência, eis-me a caminho do referido jardim! Na esquina da sebe havia uma "madresilva" e logo a seguir as ditas roseiras! Estava eu já dentro do jardim mas na penumbra da noite, bem "agachado"...quando o dono sai para o jardim e liga a mangueira! - Deviam estar bem sequiosas" as ditas roseiras, pois estive a levar um "duche" durante cerca de 10 minutos! Nem "tugia nem mugia" para não ser descoberto! E o duche continuava!!! Mas tinha de aguentar, tipo estátua! Só quando a senhor (?) mudou para a outra esquina da casa, levando a mangueira para o outro lado...é que o Je (como o Ny Leitão "Bomba") diz, saiu e pela calada da noite...foi para casa para mudar de roupa!!!
Moral da história: Paixão! a quanto obrigas!!!
De Um Pinga-amor

Nota. Bem identificado pelos ADMs
Já postado anteriormente

MÁRIO P. DE ALMEIDA...novamente em forma!




Um arroz de marisco....
...e passagem pelo Jardim Infantil/Geriático " Encontro de Gerações", na PRAÇA DOS AÇORES, mesmo em frente ao nº 6....
Nada melhor para a digestão que uns exercícios fisicos...


domingo, 25 de outubro de 2009

ACAPULCO


O desejo de olhar o verde mar cor de esmeralda povoava meus sonhos desde menina.
Recordo-o, quando já apaixonada o vi, numa tarde, em filme romântico,
no CINEMA AVENIDA.
Se estava amorosamente enredada, mais fiquei e suponho ter jurado nessa sala e nesse instante que um dia, o veria.

Passaram-se longos anos.
Piso terras mexicanas.
Uma fugaz mas entusiasmante aventura em Oaxaca, junto à "Sierra Madre", lá para o reino dos Chiapas.
Mais um banho de "sabedoria" na buliçosa Cidade do México e no fantástico templo TEOTIHUACAN, evocando a fantástica civilização Azteca..
Uma visita à longínqua e belíssima TAXCO que em noite memorável me surpreendeu com sus casinhas pequenas sobrepostas, em subida abrupta que parecia chegar ao céu.
Dezenas de luzinhas bruxuleantes faziam-na lembrar um lindo presépio.
Era verdade. Tive um presente no sapatinho. Uma valiosa pulseira, pois aí se encontra a jazida de prata mais pura do mundo.

Chegara, finalmente, o momento tão desejado. ACAPULCO.
Famigerada estância balnear tão badalada nos tablóides.
Chego. O desespero toma conta de mim.
Ruas enlameadas, casas destroçadas, árvores caídas.
Pesarosamente procuro o afago do verde mar.
Distendo o olhar.
Uma mancha escura e oleada tapa o azul turqueza que pensava ir encontrar.
Sei então o sucedido.
Do mar, antecedera-nos um furioso "tufão".
Uma vontade súbita de choro a custo consigo reprimir.
De pernas trémulas subo para uma embarcação.
Sentada no convés, sobre música alegre mexicana, o guia evoca o nomes de alguns conhecidos artistas, senhores das enormes mansões, nas margens de tão escura e feia baía.
Morrera o sonho de tantos e tantos anos.

Zangada...para trás deixo as águas do Pacífico.
Vou esquecê-lo nas deliciosas e quentes águas do Atlântico, pedindo a benção dos deuses MAIAS, que tão bem senti presentes nas ruinas com "vida" de "CHICHEN-ITZÁ".

NelaCurado

Etiquetas:

900.000 Entradas no Cavalinho Selvagem

Poucos dias depois do 1º Aniversário do GEG, este Blog teve no dia de ontem pela madrugada a sua entrada numero 900.000.
Não ha duvida que é meritorio o nivel de entradas no nosso Blogue. desde que o Blogue foi criado a 12 de Maio de 2008.
A 1 de Agosto tinham-se atingido as 800.000 entradas o que prova bem a vitalidade e o seu interesse pela grande maioria dos visitantes..
Como tudo na vida estas coisas acabam por ser feitas e participadas com os que vão e com os que estão. Não haja duvida nenhuma .
Tenta-se assim entusiasmar a geração seguinte, a qual começou já a corresponder.
Parabens a todos que bem merecem.
Talvez já em Janeiro se possa comemorar o Milhão de Entradas, ocasião essa em que se atingirão os objectivos para que foi criado.

Etiquetas:

FUTSAL - Os Iniciados do CNM foram a Penela tambem


Passada uma semana, depois do 1º Aniversário do Encontro de Gerações, os INICIADOS de Futsal do Centro Norton de Matos, foram a Penela.
Era visível, ainda a passagem dos nossos Cavalinhos, pois na parede ainda lá estava o cartaz alusivo à festa.
Foi a nossa sorte, pois na segunda parte, ficamos mesmo debaixo dela, como mostra a foto.

Campeonato Distrital de Iniciados da AFC
Penelense - 1 CNM - 2
Os iniciados estão em 1º lugar.
Abraço a todos.

Carlos Oliveira
CNM-FUTSAL

Etiquetas: ,

Os DIAs 25 .................. DIA DO PROGRESSO

O nativo deste dia, além da ambição material inerente ao ser humano, vive constantemente em busca do desejo da moralidade.
É um pensador, um estudioso e, em vista disso, profundo conhecedor de vários assuntos, podendo destacar-se e ter sucesso nos mais variados segmentos, como ciência, ocultismo, filosofia ou sobre a Natureza na sua mais abrangente expressão.
O 25 é perfeccionista, exigente (consigo e com os outros), diplomata, versátil, com grande capacidade intuitiva, senso analítico e perspicaz. Por vezes precisa ficar a sós, em silêncio, para poder meditar e receber inspiração do Eu interior.
Como tem dons proféticos e desenvolvida intuição, por vezes é instável e sujeito a vacilações e flutuações na sua personalidade. Tem como seu grande defeito, subestimar as suas qualidades, sendo ao longo da vida subjugado por pessoas muito inferiores a si.
Como é honesto, bondoso e leal, julga que os outros principalmente os 'amigos' também o são e, assim, vive sendo usado por essas pessoas, que tudo fazem para lhe tirar dinheiro e também para fazê-lo de empregado. Apesar dessas decepções ou frustrações e fracassos ocasionais, enfrenta tudo com muita valentia, mas pode ter problemas estomacais, como úlceras, sofrer de algum mal cardíaco ou pulmonar, na qual é recomendada a total abstinência ao cigarro. Deve a todo custo evitar o álcool, pois o seu organismo frágil não suporta tal vício, embriagando-se com certa facilidade e, dessa forma, metendo-se em confusões que jamais entraria se estivesse sóbrio.Será mais feliz se morar próximo da água: rios, lagos e mar.

Etiquetas: ,

sábado, 24 de outubro de 2009

O MANO FAZTUDO ... DO OUTRO LADO DO ESPELHO.

O que se pode dizer de um irmão, deste irmão, e neste dia, que já não tenha sido dito?
O modo como me tratou da saúde ao longo dos anos
(dentária em particular),
a maneira como fez envelhecer precocemente o coração da minha minha mãe
(mas lhe afinou a pontaria, ao servir repetidas vezes de alvo de objectos voadores vários),
as clareiras que se formavam à sua volta quando ficava azedado
(e o mundo ser repente só tinha duas cores, preto de raiva e vermelho de sangue),
a ideia que sempre teve de que a linha recta é o caminho mais curto entre dois pontos
(fracturando o crânio ao vir do primeiro andar para o rés-do-chão de nossa casa por respeito aos princípios da optimização)...









Tudo já foi dito, sim. Ou quase. Pois os nossos heróis, também têm um outro lado. Mas este, ao contrário do dos deuses, não passa a mito. Esconde-se, na inquietude do interior do vulcão, na turbulência do centro do furacão. Mas se lá entrarmos
(se estivermos atentos),
encontramos. Esse lado chamava-se ... medo. O medo, sim coabitava nele. Mas não era o medo usual
(físico)
do comum dos mortais. Era o medo interior que o sentir (d)a transcendência provoca, que nos coloca (s)em sentido de vida. Era o medo do não ser. Quando os deuses dialogavam com ele com a linguagem dos trovões
(e o torna mudo no tempo errado, como no seu exame da quarta classe),
o mano FazTudo sentia-se quase nada. Percebe hoje que a revolta que exteriorizava não tinha sentido, pois, afinal, era dirigida contra ele próprio, através dos outros. Pacificou(-se)!

Gosto muito do meu irmão Carlos. Afinal, somos o verso e reverso de uma mesma história. Só me falta aprender com ele os caminhos de um futuro tranquilo.

Mano Jó-Jó

Etiquetas: ,

Mais ou Menos NOITE

O Serviço Ocasional preparado para o regresso a COIMBRA.
Mais um Dia Bem passado.
Um Abraço.
Tonito.

Só para recordar...

JORGE ROCHA ( Pombalinho) - a figura do dia 24OUT08


Nunca na vida imaginei que conhecera tanta gente de quem gostava, que tanta gente até me conhecia e prezava. E aqueles tantos flashs de vidas cruzados, que até doía interiorizar, ditos em cada abraço dos nossos amigos mais próximos, menos próximos de então e os que ficámos a conhecer, todos, por igual, que não vou citar. Excepto um:
O Nini, tão triste, com umas fotos fotocopiadas do irmão Fernando, para nós o Nando Beatle, companheiro de sonhos e tropelias, infelizmente tão prematuramente falecido, como alguns outros que, como ele, nos deixaram tanta saudade.
E os nossos putos daquele tempo? Hoje Senhores, Doutores, Catedráticos, até. Sabiam mais das nossas vidas do que nós. Alinhavam feitos de miúdos e juravam a pés juntos que tinha sido assim mesmo. Todos lá tinham estado. Mas descobri que, também isso, era carinho. Era afecto.
E as senhoras? Tão bonitas todas, tão airosas. Tão cheias de vida, tão contentes.
Nada ali estava a ser inventado. Brotou assim mesmo. Gostávamos muito, muito mesmo, uns dos outros. E, ficar a saber isso, foi muito bonito.
Afinal, alguma coisa nas nossas vidas valeu a pena.
Pombalinho

Etiquetas: ,


postado em 24 de Outubro de 2008
Cavalo Selvagem

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Futebol Feminino

Etiquetas: ,

NOTICIA TRISTE

Faleceu ontem o Quim Figueiredo que morou na Rua Nuno Tristão.
Mais um amigo do BMC que nos deixa prematuramente, pois tinha apenas 52 anos.
Desde novo que tinha uma paixão por motas e carros, tendo estado desde sempre ligado à empresa Automóveis do Mondego onde era Administrador.
Á Familia e amigos, o Cavalinho Selvagem apresenta as mais sentidas condolências.

Pedro Sarmento

Etiquetas: ,

O inventor trabalha com boa intenção mas…


Há um som estridente de ondas de baixa frequência que são ouvidas pelos jovens mas não pelos adultos. Assim, certos comerciantes que tinham os jovens sempre a falar em frente das suas montras, resolveram utilizar este sistema com excelentes resultados.
Montaram um aparelho desses por cima das montras e a juventude ou entra ou desaparece do local, porque não consegue conversar com aquele barulho todo. Os adultos passam livremente pois não o ouvem.
Entre nós que ninguém nos ouve ou lê: estou para ver quando um dos pais de um menino, achando que foi um sofrimento inaceitável para a sua progenitura, apresenta uma queixa nos Direitos das Pessoas por som descriminatório.
Uma queixa aqui por descriminação, é um caso muito, muito sério.
Só que os meninos no secundário não têm o direito de utilizar os telemóveis na sala de aula e a juventude achou por bem ir à net carregar este sistema para os seus aparelhos. Está-se a ver: a
juventude é alertada com um som estridente dentro da sala de aulas com um télémóvel de um colega a tocar e o profressor continua na sua tarefa sem se aperceber de nada.
Logo que um estudante é detectado com um télémóvel dentro da sala, é-lhe retirado e só entregue a um dos pais ou tutor.
Chico Torreira

Etiquetas: ,

PARA BALANÇO.....

Para balanço(há sempre um pretexto para uma almoçarada), do que se passou no dia anterior em Penela, um grupo de 27 resistentes do cabrito de Sicó, confraternizou e passámos umas horas bem divertidas, não só ouvindo mais uma vez o Henrique e a Ana interpretando mais mais uns bonitos fados e baladas, como também presenteados com agradáveis surpresas!
Uma primeira surpresa foi a audição pelo Henrique de um fado "ALADOS", dedicado a todos quantos estiveram em Penela, mas que não foi possivel ser lá apresentado (uma deficiência no som), e que agora aqui se apresenta!
A segunda surpresa foi o "show" dado pela Ana , ao contar com extrema graça e respectiva encenação a hilariante "estória "Apaga a vela"!

Uma terceira surpresa e que nos foi particularmente grata, a mim próprio e à Celeste Maria, foi a gentil oferta de uma esferográfica e de um bonito ramo de flores!
Muito gratos pela vossa gentileza!
Umas fotos ilustram esta confraternização!






ALADOS

Passeamos lado a lado
Ancoramos o passado
Sentimo-nos tão ausentes

Tão alados tão presentes
Que nem o futuro ousou…
Fora-mos tão convincentes
Que todo o tempo parou

Já rompia a realidade
Quando ténues se abriam
E docemente sentiam
Outros olhos de saudade…

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Dar um Desconto

Quem se lembra dos Alguidares do Tide?


As marcas há muito tempo que comunicam assim, e todos sabemos que não é fácil mudar mas se calhar já é altura de começarem a pensar em soluções de comunicação alternativas.


A Confraria do Priapo




Mostra Erótica-Paródica de Caldas da Rainha - Terra das Malandrices
Não há terra portuguesa mais malandra do que as Caldas da Rainha. E como tal, a Confraria do Príapo, uns malandrecos de primeira apanha, decidiram realizar a 1.ª Mostra Erótica-Paródica de Caldas da Rainha - Terra das Malandrices. Um evento que terá exposições, animação, palestras e gastronomia. Até 22 de Novembro, no Caldas Shopping.
O primeiro destaque da programação é no dia 23 de Outubro, com a palestra sobre "O Culto do Falo - da antiguidade à actualidade". Quem passar pelas exposições vai ver malandrices de todas as formas e feitios, e com todos os materiais possíveis, da cerâmica ao chocolate, passando pelos bolos e o pão.
E já que se fala de comida, destaque também para o jantar priapiano com poesia de Bocage e do Corpus Priapeorum. É no dia 31 de Outubro e tem de se fazer reserva.

Etiquetas:

1ª PÁGINA DO SEMANÁRIO "A REGIÃO DO CASTELO"

clicar sobre a imagem para ver uma panorâmica do Pavilhão. Para abrir a curiosidade à reportagem que o Semanário fêz sobre esta grande jornada de convívio!Aqui em alguns apontamentos, ou para quem estiver interessado em ficar com mais uma recordação deste dia, solicitar-me a cedência de um exemplar, que irei ter à vossa disposição, por gentileza de "Palavras Reais - Edição de Jornais, Unipessoal, Lda" Av Bombeiros Voluntários de Penela - Edificio Nova Penela, Loja D 3230-274 Penela.

Surto de H1N1 infecta doentes e enfermeiras no Hospital dos Covões

Serviço de Cirurgia – Mulheres suspendeu operações e nos próximos dias não vai receber mais doentes. Pelo menos seis pessoas têm gripe A
O Centro Hospitalar de Coimbra (Hospital dos Covões) registou, nos últimos dias, cinco casos confirmados de gripe A entre o pessoal médico e de enfermagem. Há ainda um doente com o vírus H1N1. Os números podem aumentar significativamente, uma vez que nesta altura há pelo menos cinco enfermeiras e auxiliares médicos que apresentaram sintomas e estão à espera do resultado das análises, que devem chegar hoje, confirmou uma das enfermeiras do Serviço de Cirurgia – Mulheres, o sector afectado.
A administração do Centro Hospitalar de Coimbra, confirmou o surto de H1N1 e garantiu que o Serviço de Cirurgia – Mulheres não vai receber mais doentes nos próximos dias, até a situação estabilizar.
A directora clínica do Hospital, Deolinda Portelinha, afirmou que as operações cirúrgicas foram suspensas como medida cautelar. Recorde-se que a cirurgia debilita os doentes, situação indesejada num cenário de contaminação por vírus H1N1.
Segundo a responsável, o primeiro a apresentar sintomas terá sido um doente que, no entanto, não teria o vírus quando chegou ao hospital, onde já estava internado há vários dias. Seguiu-se depois a primeira enfermeira contaminada. O cenário leva Deolinda Portelinha a não comentar quem terá estado na origem do surto, por ser «especulativo».
in Diario Coimbra

Etiquetas:

Roteiro dá a conhecer obra de Bissaya Barreto

A Fundação Bissaya Barreto está a preparar um roteiro para dar a conhecer à população de Coimbra e aos turistas o legado patrimonial e social do patrono da instituição.
«Queremos motivar as visitas à Casa-Museu, mas também dar a conhecer a obra de Bissaya Barreto, que as pessoas até sabem quem é, mas desconhecem tudo o que fez», explica Isabel Vale, da fundação, e que assume a função de guia.
Os “Percursos interpretativos – Viagem pela obra de um homem”, percorrem vários pontos da cidade que acabam por ser também um reflexo da história de Coimbra e da forma como evoluiu ao longo do século XX.
O passeio começa na Casa-Museu Bissaya Barreto, junto aos arcos do Jardim Botânico. Apesar de manter a traça original e a função de algumas salas, a transformação em museu exigiu que alguns locais fossem alterados para acolher o espólio do médico. A antiga garagem foi requalificada para receber o Centro de Documentação, e onde antes funcionavam a adega, a sala de guardar lenha e as caldeiras, encontra-se hoje uma zona de arquivo e biblioteca e uma sala multiusos.
Depois, de autocarro, a viagem continua pela Maternidade Bissaya Barreto, inaugurada em 1963, no âmbito do programa de apoio à mulher e à infância que o médico projectou. O complexo de edifícios veio substituir o Ninho dos Pequenitos, que funcionava onde é hoje a Associação Académica de Coimbra e o TAGV. «O sentido estético, tanto no interior como no exterior, é uma das particularidades de todas as obras de Bissaya Barreto», explica Isabel Vale. Os extensos jardins e a arborização, o uso da azulejaria e do ferro forjado são outras das características dos projectos que o médico conduziu, todos com uma forte preocupação social.
A visita prossegue até ao Hospital Pediátrico, que começou como mosteiro e foi depois adaptado para receber o Sanatório de Celas, direccionado para o tratamento de mulheres e crianças com tuberculose. Mais tarde, em 1977, com a erradicação da “peste branca”, adquiriu a função que mantém até hoje. «Antes, o sanatório localizava-se numa área totalmente despovoada. Estes montes estavam vazios e arborizados, era o sítio ideal para o tratamento da tuberculose», continua a responsável. O mesmo aconteceu no actual Hospital dos Covões, inicialmente Hospital Sanatório para homens, inaugurado em 1935, e que em 1973 passou a integrar o Centro Hospitalar de Coimbra.
Devido à ampla obra deixada por Bissaya Barreto, difícil de acompanhar numa só visita, cada percurso terá um guião.
Mas que não pode terminar sem passar pelo Portugal dos Pequenitos. «Bissaya Barreto entendia que a criança devia estar protegida enquanto os pais trabalhavam, mas também estar em contacto com a natureza e aprender, brincando», explica Isabel Vale. Projectado pelo arquitecto Cassiano Branco, o parque reflecte de forma pormenorizada e numa escala reduzida elementos da arquitectura nacional e das antigas colónias, «pequenas lições de leitura que hoje são lições de história e de arquitectura», considera a guia.
As visitas, que contam com o apoio da empresa municipal de turismo, só começam em pleno em 2010, e por marcação para grupos até 16 elementos, mas este ano já está programado outro passeio, a 14 de Novembro.
in Diario Coimbra

Referer.org