<

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Dar Sangue...Salvar uma Viva



O Orgulho de exercer um Dever de Cidadania

É oportuno esclarecer que por consideração a vós, cortei a conversa sobre a confissão dos meus bons feitos e que me tornam muito orgulhosa e feliz!

Um acto já foi descrito e o outro é dar sangue!

Infelizmente a partir dos 65 anos não nos permitem continuar as dádivas, mas faço a divulgação porque é necessário lembrar aos nossos amigos, vizinhos e familiares, que hoje o faremos por alguém, amanhã será por nós!

Há mais de 30 anos que dou sangue todos os anos e ainda me lembro logo a seguir à Revolução dos Cravos, fui contactada pela D. Adelaide, senhora vivaça, grande, muito activa e conhecida e que trabalhava nessa área da recolha de Sangue nos Covões e ainda lá fui mas depois como consegui mobilizar o pessoal da Oficina da Auto Industrial e das Oficinas nossas vizinhas em redor do Brinca e Morais, onde estava a Datsun e onde trabalhei por uns tempos nos seus escritórios, foi ela lá com uma equipa e foi ali um alvoroço todos muito conscientes do serviço cívico cumprido! Vivia-se um ambiente de grande esperança e de uma enorme alegria e unidade, não concordam? Estávamos muito receptivos e sensibilizados para dar a volta a esta sociedade, cometeram-se erros e excessos mas também se fizeram coisas bem lindas e empolgantes! Agora estamos a ver o caos em que se caiu e quase nos parece um sonho... ou que passou uma eternidade! Os acontecimentos sucediam-se em catadupa, um deslumbramento, tão gratificantes em que o dia seguinte era um novo dia mesmo a valer! Viveu-se muito em pouco tempo e nem tudo foi bem absorvido nem correctamente digerido por alguns. Mas afirmo que apesar de todos os erros e desta situação presente, valeu a pena, algo ficou para nunca mais se perder ou morrer e é isso que devemos ter presente e nos transmite energia e confiança no Futuro!

Pelo menos tenho a grata alegria de ter passado o sentido de solidariedade e de cidadania aos meus filhos e sobrinhos com o exemplo também de meus irmãos. Nunca deixam de votar e são dadores de sangue. E já agora aproveito o Blog para vos mobilizar a darem sangue, é dos actos mais nobres que se podem fazer e nada custa. Somos bem tratados, uma extrema higiene e carinho e segunda a legislação em vigor, fiquem a saber que um dador tem a regalia fantástica de ficar isento de qualquer taxa seja em que exame for. Isso é já uma recompensa muito importante em termos económicos, para além do sentimento gostoso que sentimos ao sabermos que estamos a salvar vidas. Eu vou sempre ao Instº. de Sangue em Celas, ao lado do Bloco da Ortopedia e da Medicina Dentária. Mas há muitos locais e nos Centros de Saúde, penso eu que até será em Março mesmo. Até sempre e Obrigada pela oportunidade de vos falar! Isabel Melga

Etiquetas:

Oi


? ? ? ?

NUNCA DUVIDE DA CAPACIDADE DE RACIOCÍNIO DE UMA MULHER

Um homem telefona para a esposa e diz-lhe:
- Querida, o meu chefe convidou-me a mim e a alguns dos seus amigos para irmos à pesca para o vale de Rossim na Serra da Estrela.

Vamos ficar por lá uma semana. Esta é uma excelente oportunidade para eu conseguir a promoção que tenho estado á espera;
Por isso prepara-me roupa suficiente para uma semana, e também a minha caixa de apetrechos de pesca.
Vamos partir directamente daqui da empresa e vou passar por aí apenas para apanhar essas coisas.
- Ah... Olha, coloca-me também o meu pijama novo, aquele de seda azul.
A mulher acha aquilo um pouco estranho, mas atende ao pedido do marido.
No fim-de-semana seguinte,ele regressa da pescaria com um ar cansado; mas, fora isso, nada de anormal.

A mulher recebe-o com um beijo e pergunta-lhe se apanharam muitos peixes.
Ele responde:
- Sim! Muitos carpas,achigãs, algumas trutas e uns poucos barbos.

Mas, por que é que não colocaste o meu pijama de seda azul, como te pedi?
A mulher apenas olha-o fixamente nos olhos e responde segura de si:
- Coloquei sim, querido! Coloquei-o dentro da caixa dos apetrechos de pesca.

*Moral da história:
NUNCA DUVIDE DA CAPACIDADE DE RACIOCÍNIO DE UMA MULHER


Bernardo L.

Etiquetas:

O MANO VELHO CONTINUA A CRESCER...

Entre mim e o meu irmão Afonso estão dez anos a separar-nos. Ser o mais velho de cinco irmãos não tem grandes vantagens. Na realidade, só vejo uma: o mano velho nunca teve que herdar a roupa dos mais velhos. Fraco privilégio... Pois de resto são só incómodos, o maior dos quais terá sido o de ter que crescer muito antes e mais rapidamente do que todos nós. Lembro-me de me contarem, porque eu teria meses, de uma altura em que, com o meu pai a trabalhar em Lisboa creio, a minha mãe teve um problema de saúde (luxação no ombro, acho) e por via disso o mano velho virou pai e mãe de todos nós. Fê-lo com muita dedicação e saber. Como sempre na sua vida, mostrou o forte carácter que tem em tempos de adversidade. E é essa força interior, essa capacidade de enfrentar os problemas sem se lamentar, que melhor o caracteriza para mim o mano velho. São muitos os exemplos em que um certo Alguém o tem posto regularmente à prova, e ele sempre respondeu com coragem. Mas não gosta de falar desses tempos, desses momentos, nem que se fale deles. Respeito isso, mas deixo a referência. Mas o mano velho tem outra grande característica: adora intelligence games. Os seus olhos brilham quando, por exemplo, numa festa de família, nos coloca um problema para resolver. Daqueles em que é preciso mostrar a capacidade do pensamento lateral, que só se resolvem com inteligência imaginativa. Nunca ninguém aprisionará o mano velho numa lógica qualquer. Ele é o melhor exemplo que conheço de livre pensador e de pensador livre. É difícil (contra)argumentar com ele. Por vezes isso tem um preço, que ele aceita com naturalidade.





Entre mim e o meu irmão Afonso estão dez anos a separar-nos. Somos muito parecidos fisicamente. Para mim isso tem a vantagem de eu saber como serei daqui a dez anos! Mas o tempo tem-se encarregado de fazer encolher esta distância. E recentemente aproximei-me muito dele... Mas para ser um seu clone ainda me falta algo, fundamental, para lá das semelhanças externas: o seu recheio, aquilo que afinal faz do mano velho, o mano velho!

JÓ-JÓ

TUDO É RELATIVO!… TUDO É RELATIVO!...

(suite à intervista "Figaro Magazine" du 26 fevereiro 2009)

Somos nós ou vós que vivemos?
Somos nós ou vós que morremos?
Somos nós ou vós que nos chamamos?
Somos nós ou vós que nos matamos?
Somos nós ou vós que nos odiamos?
E tu ?... e eu ?... somos nós que ao menos nos amamos ? (*)

… tudo é relativo! compartilho a ideia de cada homem é a medida das suas experiências. Em outras palavras, o "nosso" mundo é uma criação individual.
Nesta perspectiva, a vossa página do "Figaro Magazine" du 26 fev 2009, têm para mim, um relativo significado. Recebo-a como um reconhecimento dos meus... enfim, soltem as asas e voem!
A vida passa num instante. O nosso passado, a nossa existência é fragil. Mesmo se não podemos passar o nosso tempo a atiçar e a viver emoções fortes do passado, creio que convém aproveitar cada momento que nos é dado.
Galileo Galilei tinha razão... "et portant elle tourne..."
Estou convencido que, com o aparecimento do Cavalinho Selvagem, aqui se formou uma comunidade nova com malta daquele e deste tempo... "back to the future". No Cavalinho, penso que todos se sentem em casa como eu me sinto aqui.
Obrigado a todos vós pelos comentarios que me são dirigidos. Obrigado pelo carinho, pela vossa amizade.
Pedro Flaviano... que surpresa, tu por aqui ?... éh pá estou sacudido!... e o Paxaleca?
Eu desejo agradecer particularmente o Bobbyzé, macaco... camarada e amigo, de ontem e de hoje, "de m'avoir apporté um soutien" constante, que me permetiu de guardar o "link" com a malta daquele tempo.
Um beijão a Gina e o Jó Carvalho pela fiel amizade,
Desejo igualmente exprimir os meus mais sinceros agradecimentos ao Alfredo, mestre incontestavel de photoshop(?) sem o qual esta página... desculpa, esta obra não tinha visto o dia.
Para ti... camarada d'outubro 1969, Pombalinho amigo, um fortissimo aperto de mão... salut l'ami!
Enfim, envio os meus agradecimentos, ao criador do Cavalinho Selvagem, meu companheiro e vizinho daquele tempo, sem o qual a minha presença aqui não seria hoje uma realidade. Álvaro o Cavalinho é util. Desejo que tenhas o tempo que necessitas para a tua familia e para os teus amigos. Que possas concretizar os novos sonhos, os novos projectos que têns nos cartões... pois é como sabes, um meio para evitar o marasmo, e assim, de poder viver plenamente a nossa vida e de se realizar... ainda não morremos!...
Uma vez mais, agradecimentos do
Carlos Falcão

(*) este verso (e outros...) que alguém me enviou à quarenta anos, alguns aqui na parede.... Não sei se é inspiração pessoal ou obra d'um poeta. neste caso, "o seu ao seu dono", quem sabe o nome ?

Etiquetas:

ESPAÇOS DE PRAZER

Gosto de visitar Lisboa, com o intuito único de decifrar o modo de vida presente e passado.
Curiosa fiquei...ouvindo na rádio um programa, sobre a existência de estudos sobre espaços de prazer, efectuados por historiadores de renome. Ouvindo, tirei apontamentos.
Espero que gostem, tanto quanto eu.
Estala a primeira guerra mundial. A aristocracia sofre revés económico, sendo obrigada a vender seus palácios.
As pessoas estão ávidas de um vida intensa. O Rossio torna-se um grande centro de botequins e cafés.
Surgem grandes empresários de prazer que dão a Lisboa uma nova dinâmica, importada das grandes cidades europeias.
Emblema deste época é o Palácio do Marquês de Castelo Melhor( símbolo do iluminismo do sec. XIX), mais conhecido por Palácio da Foz, aos Restauradores.
É comprado e transformado no primeiro e mais luxuoso Clube de Lisboa, tendo até, um electricista de serviço, a fim de acautelar o funcionamentoo das primeiros "efeitos psicadélicos". Na sua ornamentação, colabora Malhôa.
Mais acima, o Consulado Espanhol , passa a "Espaço Mayer".
Nas Portas de Sto. Antão (actual Rua do Coliseu), surge o primeiro centro de prostituição francesa com as célebres "Papillon". É o "Club Palace", cuja dona se torna, da mesma nacionalidade, na primeira retalhista de "coca".
Em 1913, mais dois palácios passam a "Politeama" e a "Magestic Monumental" ( Casa do Alentejo), este último idealizado por Siva Junior (visionário que falava com Atlanta e extra terrestres) mas que faz obra notável.
E ainda, o "Bristol Club", (actual sede do BENFICA), preciosamente concebido e decorado pelo arq. Carlos Ramos, Almada Negreiros, Mário Freitas Ribeiro, entre outros.
As Portas de Sto. Antão, passam assim, a ter os primeiros Casinos de sexo e prazer.
São o principal centro de jazz (importado de Nova Orleães), fox trott, estupefacientes e alcool.
Tudo isto em Palácios de grande valor patrimonial.
Se conseguir levar alguém atrás dos meus devaneios históricos... tenho mais para contar sobre este assunto....
Nela Curado

Etiquetas:

Vivam Meus Meninos!

Estava mesmo desactualizada e continuo pouco disponível para me dividir entre as centenas de mails e o Blog onde adoro escrever!
Mas desde já esclareço que esta Isabel, que deixou os registos nesta rubrica, não sou eu a Melga, nunca escreveria tão pouco!
Agora pelo que acabei de ler associo-me com entusiasmo moderado a esta iniciativa de procederem a um "crivo" sobre as pessoas intervenientes e a filtrarem os textos a fim de não se criar um clima de tensão e de mal-estar. Mas para mim, ainda o mais saudável desta medida que foram forçados a assumir, relaciona-se com o facto de acabarem as desconfianças e os mal entendidos, isso seria terrível, seria mesmo pior do que o bicho da madeira a entranhar-se em tanta amizade nascida deste Blog e ainda o desmoronar do próprio Blog.
Mas atenção, espero e desejo que algumas das vertentes que tanto caracterizam e enriquecem um Espaço destes (registando já duas das principais: (a versatilidade dos temas e a composição humana dos comentadores), não se transforme numa caça às bruxas nem ofereça uma segunda oportunidade a pessoas que sempre pertenceram e pertencem ao Bairro e que estiveram presentes no GEG e que até por razões várias tenham já reconsiderado a sua postura e se venham a revelar agora participantes criativas e animadas. Entretanto confio que o destino deste nosso “ponto de encontro” está em boas mãos; pessoas idóneas, amadurecidas e experientes que possuem a sensibilidade e a receptividade suficientes para irem observando as movimentações no “Terreno”Assim aconteça! Bem necessitamos de muito calor humano e de nos unirmos e não de arranjarmos motivos para posições extremistas e negativas.
O Objectivo COMUM e PRIMEIRO de um Blog, independentemente das diferenças culturais sociais e de gerações, é sentirmo-nos vivos, presentes e participativos nesta sociedade.
Esse direito ninguém nos pode tirar e gratifica-nos a convicção de que pelo menos os diálogos entre nós não são virtuais; Existem e Sentimos as queixas, as angustias, as alegrias ou dúvidas uns dos outros.
Do vosso agrado ou não, e mal ou bem, este sim, foi um “recado” e uma Saudação muito afectuosa da
Isabel Melga.

Etiquetas:

Tabernas de Coimbra


ROTEIRO DE COIMBRA

TABERNAS VÃO SER DESTINO TURISTICO

Coimbra quer reavivar o espírito das 27 tabernas espalhadas pela cidade

O Fado à Desgarrada fez as honras da apresentação da Rota das Tabernas de Coimbra, na “TABERNA DO ROMAL”( FOTO)

TASCAS DESDE A ALTA ATÉ À BAIXA.

A ROTA das TABERNAS de Coimbra pretende dar a conhecer aos visitantes este tipo de estabelecimentos.

Dos 27 espaços inventariados fazem parte algumas das “tascas” mais emblemáticas da cidade. Distribuídas entre a Alta Universitária e a Baixa, a Rota das Tabernas vai levar os turistas até ao famoso “Pinto” muito apreciados entre a comunidade universitária, ou à “DEMOCRÁTICA”(antes conhecida como “Casa D. Maria”

A” Tasca da Ermelinda”, a “Tasquinha”, “A Casa Costa” e “A Tasca de Santana” são alguns dos espaços localizados na Alta que fazem parte deste roteiro.

A BAIXA de Coimbra tem maior número de locais a visitar, como o “Carlinhos das Escadas”(antigo “O Júlio das Iscas) a “Toca do Gato” (antigo “Baixinho”), o “Mija Cão” ou a casa “Vili”. Contam-se ainda “O Manel Bota Abaixo”, “O Malvado”, “O Ponto de Encontro OJaime” (também conhecido pelo “Zé Ralha”), “A Tasca do Morais”, “O Verdadeiro” ou a “Tasquinha do Pobre”(antiga “Casa Lourenço”).

A lista conta ainda com mais 13 espaços, todos situados na “Baixinha”.: “O 34”, “Direitinho”, Casa de Pasto e taberna”, “ A Mariazinha”, “O Buraquinho”, a Taberna do Romal, “O Tapa”, “A Tasquinha do Roque,”O Zé Manel dos Ossos”.

Foram “Tempos de Ouro” das tabernas de Coimbra, segundo Paulino Mota Tavares, esperando-se que a “Taberna” não desapareça!

Enxerto da reportagem do Diário de Coimbra

Jornalista Júlia de Sousa

Foto de Carlos Araújo

Por RAFAEL

Etiquetas:

ANIVERSARIANTES DE MARÇO



Para que o pessoal comece a preparar as prendas

M A R Ç O





Ze To Gaspar- 02.03.1953

Sónia Ágoas (filha da Nela e do Vasco) - 03.03.1971

Horacio Andre Antunes - 05.03.1946

Aurora Santos (Mãe do Bobbyzé) - 07.03.1924

Carlos Nogueira (Chaves) - 08.03.1944

Morais Lopes - 08.03.1944

Hugo Andre Freire (filho do Carlitos Freire) - 18.03.1979

Victor Silva da Costa - 20.03.1956

Rogerio da Naia Teixeira – 24.03.1946

Lisete Dias do Talasnal
– 25.03.1960

João Carlos Ferreira Gaspar – 30.03.1958

Alcides Garcia ( Pai de Lena Garcia) - 30-03-1920

Nota: Esperamos que quem nasceu em MARÇO ainda se acuse

Etiquetas:

JOSE AFONSO COSTA - Faz 67 ANOS




JOSE AFONSO COSTA


28 de FEVEREIRO

1943



67 Anos.
O Blog do Cavalinho Selvagem,
deseja-lhe muitos parabéns,
muitas felicidades
e muitos anos de vida.

Etiquetas: ,

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

FRASE DO DIA

Já que não vos tenho presenteado com umas linhas, vai esta frase para dar sinal de vida e vos desejar um bom fim de semana. Certamente com umas gotas de chuva mas antes venha neste do que no dia da lampreia!

FRASE DO DIA:

Estamos numa época em que o fim do mundo não assusta tanto quanto o fim do mês.

Um Abraço da sempre presente, Isabel melga

OS MOREIRAS

Num tempo mais ou menos recente, o amigo Rui Felício contou-nos uma passagem da sua vida pelo exército, numa altura em que se sentiu “deportado” para Penamacor e ali conviveu com alguns camaradas de armas com feitios e formas de estar na vida muito peculiares, aquilo a que se chama numa sociedade conservadora … “desalinhados”.
Realmente o exército é uma escola de vida, aparecendo todo o tipo de gente, uns a quem achamos graça, outros menos graça e outros ainda, convenhamos, graça nenhuma…
Daqueles que me ficaram no pensamento, recordo-me agora do Moreira, que conheci em Canjadude, mas que não veio para a Guiné com o meu batalhão.
Cedo me apercebi que era um gabarola, espantando europeus e africanos com as suas façanhas, sendo da que mais se gabava, ser exímio jogador de bilhar. E então se fosse jogo a dinheiro era “vê-lo” ensacar “reais” em S. Mamede de Infesta, extorquindo o “vil metal” a todos que resolviam esgrimir tacos com ele sobre um pano verde…
Mas como no mato não tínhamos hipótese de comprovar tal façanha e de o desafiarmos para uma partida de bilhar, demos de barato e sem contestação aquele seu condão.
Apesar de todo aquele feitio fanfarrão, o Moreira tinha uma sombra negra. Um seu homónimo, um outro Moreira, que era nem mais nem menos que o pai da sua amada Filomena…
Dizia-me:
- Ó Pereira , o tipo não é “flor que se cheire”…como vês a mim nada me mete medo, mas eu só de me lembrar que lhe tenho de pedir a filha em casamento até tenho suores frios… sabes, fico complexado só de o ver…ponho-me de noite a pensar no discurso que lhe vou fazer e até tive uma ideia…
- Que ideia, pergunto?
- Olha tu podias fazer de pai dela e eu “treinava” o discurso contigo, a ver se eu me saía bem…
Meu dito meu feito.
Vamos para o meu abrigo, sento-me na borda da cama, ele numa cadeira e começa assim:
- Senhor Moreira…
Atalho:
- Ó Moreira mas que trejeito é esse de puxares os ombros da camisa para trás com as mãos, até parece que vais bater no homem!?..
Responde-me:
- É um jeito que tenho desde de pequeno, vou tentar corrigir… recomecemos…
As bagas de suor começam a alagar-lhe a testa e começo a perceber que ele está a viver o “drama “mesmo a sério…
Faço então o meu “papel”, traço a perna e olho para ele a franzir o sobrolho e digo…”o senhor quer então falar comigo”?
Mexe-se nervosamente na cadeira e diz-me:
- Senhor Moreira, …eu…eu…eu… como sabe namoro a “Ménita”… o assunto que me trás aqui é sério e delicado…
Respondo-lhe com um sorriso tipo “gorila”:…ai você é que é o “pardalão” que anda a “arrastar a asa” à minha filha????
- Então e o que pretende? …pergunto…
Cruza e faz estalar os “nós” dos dedos nervosamente, e sussurra com a voz a extinguir-se -lhe na garganta:
- Senhor Moreira , eu vinha pedi-la em casamento…
Inclino-me para a frente, fico cara a cara com ele e pergunto:
- Casamento? E o senhor tem condições para “sustentar” a minha filha? O que é faz? Qual a sua profissão?
- Responde-me:…. Sou furriel miliciano.
- Então e quando sair da tropa? …pergunto:
- Fico desempregado…
Ponho-me então de pé, “assumo” a minha condição de “pai” da Filomena e digo-lhe:
- Nem pensar!!!... um valdevinos como você que só tem jeito para namoriscar a minha filha e passa horas a fio a “depenar patos” ao bilhar na Cervejaria “Cristal” em S. Mamede de Infesta…nem morto lhe dou a “Ménita”..…
Levanta-se então e diz-me em voz alta:
- Não é essa a resposta que quero que me dês…quero que me digas que SIM !!!
- Respondo-lhe ainda mais alto…mas eu digo-te o que ele te vai dizer… NÃO…NÃO…e.. NÃO!!!
Sai furioso do abrigo e durante dois dias na parada olha-me de lado…e eu atiro-lhe com um olhar” carregado” de pai “herói”…
Ao terceiro dia vem ter comigo e diz-me:
- Amigo Pereira… és capaz de ter razão…quando for para a “peluda” vou ver se arranjo emprego e depois é que vou falar com o safardana do pai dela…parabéns…fizeste bem o papel dele…vamos beber uma cerveja…
Respondo-lhe:
- Vamos lá futuro… genro…
Será que este Moreira conseguiu convencer o outro Moreira a dar-lhe a mão da tão desejada Filomena?
Ainda hoje, volvidos tantos anos, dava dinheiro para saber…
Quito

Etiquetas:

O Novo hi5...

Esperamos que os simpaticos lagartões alinhem nestes programas da internet.
Quem não conhece o hi5, o netlog, o youtube ou o flickr?
Agora Paulo Bento é a nova imagem que dá movimento ao hi5.

Etiquetas:

Um Mapa por onde estudamos.

Etiquetas:

IMORALIDADES

Serve este texto para registar toda a minha revolta.
Tentei a todo o custo defender este espaço, pertença dos ADMs do Blog, pois foi através deles que consegui encontrar e comunicar com muitos amigos que julgava, para sempre, perdidos...
Mais enriquecedor se tornou ainda, pois novas amizades comecei a tecer.
Durante meses...muitas das minhas horas de lazer foram aqui passadas, convosco, numa sã harmonia.
Mas o mal espreitava e a eterna inveja... a pouco e pouco foi estrangulando este lindo ponto de encontro.
Alguns dos mais importantes bloguistas perderam a paciência. Outros tantos comentadores seguiram-lhes as pisadas e os poucos que ficaram não conseguem deter a avalanche desmesurada de anónimos. Ultimamente, uso de identidades falsas é constante e as grosserias aumentaram de tom.
Sei que os ADMs tentaram alterar a situação, mas nada do que foi aplicado pareceu resultar, pois um simples anonimo com paciênciatem perturbado os mais sensiveis..
Sou mulher de armas mas...também estou tentada a parar.
Medo, só de doenças e da morte. Não fiquem convencidos que me dobraram.
Nada disso. Só que, com todos a desaparecer, "morre-me" a inspiração.
Mais uma vez...vence a imoralidade.
Para os amigos... um beijo.
Nela Curado

JÁ É PRIMAVERA?

Passava por ti todos os dias, olhava-te de lado, disfarçadamente, na esperança de um sinal, qualquer um que mostrasse, ainda que de forma indelével, a tua disponibilidade para me aceitares.
Ía assim criando expectativas que receava sairem goradas, mas que ao mesmo tempo, e talvez por isso, aumentavam o desejo de te possuir.
Até que finalmente apareceste. Esplendorosa na tua blusa cor-de-rosa, não aquele rosa desmaiado, sem graça, mas um rosa forte, quase encarnado a contrastar com o verde da tua saia.
Confesso que fiquei maravilhado! Sentia-me vaidoso por te ter ali! Bem via a admiração estampada nos olhos dos que passavam e viravam a cabeça para te observar melhor... Ciúmes? Não! Orgulho certamente.
Inexplicavelmente (ou não) desapareceste, não sem antes deixares descendentes dos quais cuidarei religiosamente na esperança de um dia te ver renascer.
Podias chamar-te Rosa ou Violeta. Mas quiseram que fosses Camélia.
Titá

( A foto do Tonito é a grande culpada destas palavras. Vocês concerteza preferiam o chilrear dos passarinhos...mas com este sol acho que me deu uma crise primaveril. Quem tiver pachorra que me ature...)

Etiquetas:

A LEI DO MAIS FORTE

A LEI DO MAIS FORTE
( no submundo das grandes cidades... )

O Heitor nasceu num bairro pobre de Lisboa. Daqueles a que agora os media catalogaram de bairros problemáticos.
Foi desde miúdo, um rebelde, um revoltado contra as agruras que a vida lhe tinha reservado.
Primeiro foi a morte prematura da mãe, que aos 32 anos foi vencida pela droga. Depois, foi o alcoolismo do pai que sobrevivia com o subsidio estatal de rendimento mínimo e com as esmolas que ia obtendo no Rossio ou em Santa Apolónia.
Aprendeu a viver de expedientes diversos que dividia com as esporádicas e raras idas à escola. Não tinha irmãos, nem avós vivos, nem ninguém que lhe desse o carinho que as crianças precisam.
O seu feitio áspero e agressivo isolava-o dos bandos de jovens do seu bairro. Não tinha amigos, não tinha ninguém, não tinha um ombro onde pudesse verter as lágrimas de desgosto e de raiva que, na solidão do seu desconforto, por vezes lhe sulcavam o rosto sujo.
Quando algum esquema ou pequeno furto lhe proporcionava uns tostões, já com os seus 18 anos feitos, ia gastá-los na feérica orgia nocturna da cidade, em bares e discotecas onde aprendeu a conviver com jovens ricos e glamorosos.
Certa noite, enquadrado num grupo de jovens numa discoteca de Alcântara, saiu no carro de boa marca de um deles. Ele, o dono do carro, um amigo deste e uma miúda que tinha estado a beber com eles na discoteca.
Embrenharam-se na mata de Monsanto. O amigo do dono do carro, pelo caminho tentou violar a rapariga. Esta assustada abriu a porta do carro em andamento e, em pânico, atirou-se para a estrada. Foi atropelada pelo autocarro que se cruzava em sentido contrário. Morreu no Hospital de Santa Marta horas depois...
O rico empresário, pai do frustrado violador, foi avisado pela Polícia e dirigiu-se à esquadra onde estavam detidos os jovens.. O pai do Heitor foi localizado e transportado também para a esquadra.
Era preciso determinar e acusar um culpado, dizia o polícia de papel e caneta na mão para redigir o auto.
A proposta do senhor rico veio fria, concisa e directa, falando em surdina para o pai do Heitor:
- O seu filho apresenta-se como o autor da façanha. Em troca, você terá uma boa casa,
uma pensão razoável, uma quantia em dinheiro e o seu filho terá um advogado com despesas e honorários pagos.
A condenação, se a houver, será de poucos anos, meses talvez.
- Uma proposta a considerar... – pensou em voz alta o azamboado pai do Heitor.
O Heitor, finalmente é convencido pelo pai a declarar-se culpado do crime.
O Tribunal foi mais severo do que lhe tinha dito o advogado do senhor rico. Condenou o Heitor a oito anos de prisão efectiva...
Revoltado na sua cela, é visitado pelo advogado que o tentara defender em tribunal. Tenta confortá-lo, explicar-lhe que a pena seria reduzida por bom comportamento, mas os olhos do jovem destilavam ódio, revolta e espelhavam medo.
A ténue réstia de esperança que perpassava pelo rosto do jovem, ingenuamente crente ainda na possibilidade da sua libertação, foi desfeita pelo causídico com uma metáfora:
- Sabes, meu rapaz, toda a corda tem dois lados. Um é forte, o outro é fraco. E é sempre pelo lado mais fraco que ela se parte.
- Tu és claramente o lado fraco da corda.
O advogado, incomodado e sem se despedir, deixa que os seus passos se afastem cadenciadamente, ecoando pelo corredor vazio da prisão.
Rui Felício
12-02-2009

Etiquetas:

Como vai o Blogue....

Número Especial do "LE FIGARO - Magazine"

“…tive uma infãncia "normal", mas uma parte da minha juventude foi complexa.”

“…Como jovens, tinhamos tudo a nosso favor. A nossa droga, além da barba de milho, dos provisorios, dos 3x20, era ''la joie de vivre. A ''interatividade'' no BMC, permitiu estreitar laços e afectos, que anos mais tarde são realidadade: o Encontro de Gerações 2008, o dinâmico Cavalinho Selvagem, são factos de uma amizade forte, e fiel.' … a alegria espontanea de viver o momento.”
………
Isto são frases retiradas da entrevista que este Cavalinho deu ao “LE FIGARO”

A sua entrevista, mostra-nos um ser humano com uma alma enorme.
Sem rancores fala-nos dos seus tempos difíceis de juventude.

Boa índole, São e Amigo do seu Amigo.
Ainda hoje é recordado pela sua espontaneidade, presença de espírito e inteligência. Foram estas qualidades que lhe permitiram ser hoje o Grande Homem que é, não obstante as enormes dificuldades do passado.

Etiquetas: , ,

COIMBRA até é assim....

Calhou assim (reflexo com gaivota residente, lado esquerdo baixo).
Tonito Dias

Etiquetas: ,

VIVER

Hoje tive que me ausentar. Fui a Lisboa.Acabadinha de chegar, corri ansiosa para perto de vós. O dia foi maravilhoso.
Pela manhã acordei e o amor sorriu para mim.
Ao abrir a janela reparei nas árvores cobertas de lindas flores rosadas. Pássaros esvoaçam num delírio de movimentos. A Primavera aproxima-se em todo o seu explendor.
Abro o computador e as boas novas, tornam-me ainda mais feliz.
io e tudo corre a contento.
Pela tardinha busco as crianças no colégio. Os seus rostos transportam alegria.
Um episódio inusitado, leva-me de novo a confiar na bondade do ser humano.
Rolo preguiçosamente pela marginal, olhando a beleza do mar tranquilo.
Meio da tarde.
Inicia-se o regresso a casa. O movimento aumenta progressivamente. De repente... o trânsito para. Baixo o vidro e espreito na tentativa de saber a causa.
Os automobilistas que me rodeiam, sorriem...para espanto meu.
Olho em frente.
Um rapaz novo desloca-se em grande azáfama com um gatinho, ainda novo, na mão.
Parara para não o atropelar e tenta a todo o custo deixá-lo num jardim.
As altas grades impedem-no de o fazer. Após várias tentativas, consegue os seus intentos, sorrindo...
Com muita calma, sem qualquer ruido de buzinadelas, inicia-se a viagem.
Das traseiras do meu carro, a vozinha doce da Beatriz, exclama:
Vó...vê-se mesmo que o senhor, gosta muito de animais!
Sorrindo, carrego no acelerador e parto confiante num mundo melhor...
Dá gosto viver assim.
Nela Curado

Etiquetas:

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

BOBBYZE Oliveira - Faz 61 Anos



BOBBYZE Oliveira


26 de FEVEREIRO

1948



61 Anos.
O Blog do Cavalinho Selvagem,
deseja-lhe muitos parabéns,
muitas felicidades
e muitos anos de vida.

Etiquetas: ,

Aposentado ou Reformado....

E o Verão nunca mais chega....

MariazinhadaSilveira

Etiquetas:

Torneios de Hoquei

Hoquei de RUA
Uma das Equipas da Rua Y

A Teresinha Lousada, prima do Tomane Quaresma, tambem apareceu e enviou 2 fotos para o Blog.
Nesta foto, está a Teresinha bem equipada e com as suas lindas trancinhas em baixo sendo a 2ª da esquerda e o Fernando Quaresma o ultimo.
Em cima, encostado ao matulão está o Vitinha Costa, a Rosinha Adão, a Mª Augusta ( irmã do Ze Carlos Martins da Rua Y) e a Ju ou Gina Faustino ??
Foto cedida por Teresa Lousada
já em 30.5.2008

Etiquetas: ,

Ideia Genial....

A ideia genial vem de Angola!
O "car jacking" tem os dias contados.
Uma boa ideia para quem tem e não pode comprar carros-blindados e que os da pesada querem levar....
Alarme Anti Roubo... kkkk
Ora aqui está uma hipótese para a segurança Nacional...

Cobras viram 'alarme anti-roubo' de carro em Angola.
Curandeiro deixa animais no banco e no painel de seu Audi TT para afastar possíveis ladrões.
"Ninguém tem coragem de entrar no meu carro", comenmta o dono.

Trava eletrônica? Alarme? Bloqueio de guiador? Zé da Muamba não usa nada disso. Para garantir a segurança de seu Audi TT nas ruas de Luanda, uma das cidades mais violentas do país, Zé da Muamba utiliza duas cobras píton.
Batizadas de 'Pequenina' e 'Malvada', as cobras constritoras - que matam ao se enrolar na vítima, como uma jibóia - medem cada uma cerca de 3,5 metros. 'Ninguém tem coragem de entrar no meu carro', diz o curandeiro. (Foto: AP)
Teresa Bizarro

Etiquetas:

IF

IF
If you can keep your head when all about you
Are losing theirs and blaming it on you,
If you can trust yourself when all men doubt you
But make allowance for their doubting too,
If you can wait and not be tired by waiting,
Or being lied about, don't deal in lies,
Or being hated, don't give way to hating,
And yet don't look too good, nor talk too wise:

If you can dream--and not make dreams your master,
If you can think--and not make thoughts your aim;
If you can meet with Triumph and Disaster
And treat those two impostors just the same;
If you can bear to hear the truth you've spoken
Twisted by knaves to make a trap for fools,
Or watch the things you gave your life to, broken,
And stoop and build 'em up with worn-out tools:

If you can make one heap of all your winnings
And risk it all on one turn of pitch-and-toss,
And lose, and start again at your beginnings
And never breath a word about your loss;
If you can force your heart and nerve and sinew
To serve your turn long after they are gone,
And so hold on when there is nothing in you
Except the Will which says to them: "Hold on!"

If you can talk with crowds and keep your virtue,
Or walk with kings--nor lose the common touch,
If neither foes nor loving friends can hurt you;
If all men count with you, but none too much,
If you can fill the unforgiving minute
With sixty seconds' worth of distance run,
Yours is the Earth and everything that's in it,
And--which is more--you'll be a Man, my son!

Rudyard Kipling

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

ROTA DA LAMPREIA – RECOMENDAÇÕES FINAIS

Com o objectivo de que toda a logística da “Rota da Lampreia” decorra com normalidade, pede-se que tomem em consideração o seguinte:
1- CONFIRMAÇÃO DAS INSCRIÇÕESAté ao dia 27 de Fevereiro, quem na lista para o almoço, ainda está “sob reserva”,deve confirmar a sua presença. A partir desta data, terá que suportar o valor do almoço, se não comparecer.

2- PAGAMENTO Pede-se que levem o valor exacto de acordo com o prato escolhido: €22,50 – Lampreia; €15 – restantes pratos (cabrito; chanfana; bacalhau, etc).

3- Quem utilizar o IP3, terá a partir da saída Penacova/Poiares, placas a indicar o local do “crime”. A partir das 13H00 e até às 21H00, a sala do Restaurante está reservada para o nosso convívio.

Caminheta Prá Lampreia

Estando assegurado o necessário e conveniente meio de transporte transmite-se a todos os interessados o seguinte:

1. - O preço do transporte Coimbra/Penacova e Penacova/Coimbra é de 6.00 € por pessoa;

2. - O pagamento será efectuado na hora da bica matinal no Samambaia antes da partida;

3. - A hora de partida de Coimbra será às 12.00 horas e o regresso será às 19.00 horas de Penacova;

4. - Consideram-se como definitivas todas as inscrições constantes na listagem do Blog.

5. - Qualquer eventual desistência deve ser comunicada para o Blog até ao próximo dia 27 de Fevereiro.

A caminheta é do melhor que existe no mercado sendo os pneumáticos da melhor borracha.

Os travões travam mesmo e os amortecedores ... são fantásticos.

Cada banco conterá o necessário e conveniente saco de plástico para a eventualidade de alguma acrobacia dar volta ao estômago.

O ar será sempre ventilado e à disposição de cada um.

Os bancos terão todos espaldar alto podendo ser reclinados ou talvez não.

O serviço de bordo será da responsabilidade de hospedeiras convenientemente depiladas e odorizadas de alfazema.

Tudo o que se promete poderá ser....ou não ser. A Organização deseja Boa Viagem

Abílio e Tó Ferrão

Etiquetas:

CARNAVAL no BNM - 2009


Fotos do Tonito Dias

Etiquetas:

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

MARIA DE JESUS NEVES - Faz 61 Anos



MARIA DE JESUS NEVES
(MARICOTA)

24 de FEVEREIRO

1948



61 Anos.
O Blog do Cavalinho Selvagem,
deseja-lhe muitos parabéns,
muitas felicidades
e muitos anos de vida.

Etiquetas: ,

Aniversariantes Registados

Atingi a primeira centena de aniversariantes cadastrados, entre cavalinhos, cavalinhas, cavalões e cavalonas…o leque etário vais desde 1921 a 1980, o que comporta, pelo menos 3 gerações…..
Por anos de nascimento, temos:

1921-1
1924-2
1929-1
1936-1
1939-2
1941-2
1942-3
1943-5
1944-8
1945-12
1946-10
1947-10
1948-8
1949-11
1950-6
1951-5
1952-2
1953-1
1954-2
1955-1
1956-1
1958-1
1959-1
1960-1
1963-1
1971-1
1975-1
1980-1

Como podem ver, 1945 foi o ano de maior colheita dos cadastrados, o que não quer dizer que seja a melhor…claro que eu puxo mais para a de 44!!!!
Quem tiver curiosidade em saber mais coisas: marpalmeida@iol.pt
1 abraço
Mário Pinheiro de Almeida

Etiquetas:

GENÉTICA

E para acabar o Carnaval aí vai mais uma brincadeira.
Tentei, de todos os modos, encontrar um disfarce de Raínha das Índias, Rainha de Sabá ou até mesmo de Boba, mas sinceramente, eram tão dispendiosos, que com a crise económica que se instalou e decerto se irá prolongar, não me atrevi a fazer tal despesa.
Desculpem-me os meus fãs.
A "coisita" mais económica que por lá encontrei, foi um triste palhaço a quem tentei alegrar, dando-lhe vida.
E dois em um... fizemos um sucesso.
Era ver... princesas, brancas de neve, homens aranhas, carochinhas, super homens, índios e cowboys, todos olhando para nós com um sorriso de real prazer, pois colegas de profissão só encontrei mais um... e perto de mim era pequenininho.
Deu para rir e divertir.
O dia estava lindo e a côr invadiu o Parque das Nações, transformando-o num maravilhoso estúdio de Walt Dysney.
O CARNAVAL acabou.
Amanhã será dia de missa e mantilha .À primeira não irei e a segunda não porei.
Contudo, numa prece bem sentida... pedirei para mim e para vós, toda a felicidade do mundo.
Nela Curado

Etiquetas:

EXPERIÊNCIAS....1 2 3


COMO ESTAMOS NO CARNAVAL,

APROVEITA-SE PARA FAZER EXPERIÊNCIAS.
NO BLOGUE
Os resultados serão divulgados brevemente.

A Rota da Lampreia

Na Rota da Lampreia em PENACOVA

Lá vamos nós a caminho de Penacova.....
IN CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS DE 19 / 02
Rafael

Etiquetas: ,

Contributo para a Memória (3)

Do Amigo Jorge Castilho, recebemos mais um "Contributo para a Memória", que passo a transcrever na íntegra.
IRMÃOS DORES

Ora cá estou, como prometi, para vos falar de dois rapazes do Bairro Marechal Carmona que, a avaliar pelos comentários que me têm chegado, continuam a ter por cá muitos amigos (e amigas), apesar de se terem ausentado de Coimbra há para aí uns 40 anitos: os irmãos Dores.

Comecemos pelo mais velho – pois bem se dizia na tropa que “a velhice é um posto” e estamos a falar de dois militares!...

O António Manuel da Rocha Dores (Tó, para os mais íntimos) foi o primeiro a sair de Coimbra (para tristeza de algumas donzelas...) quando acabou o Liceu, ingressando na Academia Militar, em Lisboa, na arma de Engenharia. Viria a licenciar-se em Engenharia Civil e a seguir a carreira militar. Reformou-se há poucos anos, no posto de Coronel, depois de um problema de saúde (uma “avaria” no “relógio cardíaco” que o obrigou a submeter-se a intervenção cirúrgica delicada mas felizmente bem sucedida).
Ocupou diversas funções de destaque quer no Exército quer na Guarda Nacional Republicana, tendo também sido Professor na Academia Militar.
Para além do mais, foi um participante activo (tal como o irmão Zé, como abaixo vou referir), na Revolução do 25 de Abril de 1974.
Nessa data marcante para a nossa História, o Tó Dores esteve no Centro de Comando da Pontinha, ao lado de Otelo Saraiva de Carvalho, dirigindo as operações das tropas revoltosas.
Casou novo (com a Lurdes, uma Assistente Social muito bonita e simpática) e assim continua (novo já nem tanto – embora ainda em muito bom estado... – mas casado com a Lurdes sim...). Têm só um filho, o Tiago, que é hoje uma das mais conhecidas figuras nacionais. Tiago Dores, estão a ver? Pois é, um dos quatro “Gato Fedorento”, que antes do grupo se tornar famoso já demonstrava notáveis qualidades humorísticas, escrevendo textos para as “Produções Fictícias”, para o Herman José, e assinando até uma crónica regular, humorística, no jornal “A Bola”.

Quanto ao mais novo, José Luís da Rocha Dores (Zé, para os mais chegados), foi um aluno brilhante no velho Liceu D. João III (onde chegámos a ser colegas de turma) seguindo também para a Academia Militar, em Lisboa, onde igualmente se licenciou em Engenharia Civil, com as mais elevadas classificações.
E sobre o Zé posso (e devo!) entrar em mais alguns detalhes, uma vez que é meu Cunhado. Casou com a minha Irmã Maria Clara (também muito bonita e também muito simpática, pois no que toca ao belo sexo os manos Dores sempre demonstraram bom gosto!...). O casamento foi em Agosto de 1972 e dele viria a resultar um só fruto (mais uma coincidência dos manos Dores), o Miguel, que foi um revolucionário ainda no ventre materno!
Um dia poderei contar este episódio com mais detalhes. Por agora digo apenas que na madrugada de 25 de Abril, o Zé, que estava colocado na Escola Prática de Engenharia (EPE), em Tancos, saiu a comandar tropas que avançaram para Lisboa e foram ocupar um dos pontos nevrálgicos e mais protegidos do País: a Casa da Moeda. O Comandante da EPE não aderiu ao Movimento (tal como outros oficiais ali colocados) e quando a coluna revoltosa saiu rumo a Lisboa, as mulheres dos oficiais revoltosos, com receio de serem feitas reféns, fugiram para os pinhais que rodeavam a unidade. A minha Irmã, grávida de quatro meses, só teve tempo para me telefonar contando o que se estava a passar em Tancos, antes de se embrenhar na mata. A essa hora eu estava já no jornal (trabalhava então no “Jornal de Notícias”), pois fora alertado ao fim da noite de 24 de Abril para o golpe militar em marcha. Perante o relato da minha Irmã fui logo para Tancos, e dali segui o evoluir da Revolução (perdi o que aconteceu em Lisboa e em Coimbra, mas testemunhei, em Tancos, episódios muito curiosos).
Imaginem o que terá sentido a minha Irmã (como tantas outras Mulheres em circunstâncias semelhantes, nessa espantosa madrugada) sabendo que o Marido saíra para uma missão de elevadíssimo risco, onde poderia perder a vida. E mesmo que sobrevivesse, em caso de fracasso da Revolução seria preso e ficaria com a carreira destruída.
Por isso digo que o meu sobrinho Miguel (que viria a nascer 5 meses volvidos, em Setembro de 1974), foi um “bebé revolucionário”, que viveu, no ventre da Mãe, as angústias que estas Mulheres sentiram e a coragem de que deram mostras. (Refira-se que o comandante da EPE e os oficiais que lhe eram fiéis só viriam a render-se quando a coluna do Zé regressou, vitoriosa, a Tancos, depois de integralmente cumprida a sua corajosa missão).
Esse “bebé revolucionário” (Jorge Miguel de Abreu Castilho Dores) é hoje, para orgulho de todos nós, um bem sucedido advogado em Lisboa, com cargo de responsabilidade que conquistou, por mérito próprio, no Departamento Jurídico da REFER. Ele próprio já casou e é pai de uma encantadora Mariana, de quem sou um “babado” tio-avô.
Mas voltemos ao Avô Zé (naturalmente ainda mais “babado” do que eu!).
Apesar do seu excelente percurso militar (tendo ocupado cargos de grande importância e responsabilidade) o Zé nunca se adaptou muito bem às limitações que o Exército impunha. Assim, quando já era Major, decidiu que aquela não era propriamente a vida que desejava e pediu a passagem à Reserva (em 1990).
Encetou então uma notável carreira na área da Engenharia Civil – e civil...
Ocuparia muito espaço referir aqui todos as destacadas funções que tem desempenhado. Cito apenas as que me parecem mais dignas de destaque.
Assim, no Exército, foi, entre muitas outras coisas relevantes, Comandante de Batalhão na EPE e no Regimento de Engenharia n. 1 (na Pontinha); Chefe da Repartição de Pessoal da Arma de Engenharia, Sub-Chefe do Gabinete de Engenharia das Novas Infra-Estruturas do Exército, Professor no Colégio Militar.
Após a passagem à reserva, e ao longo destas duas últimas décadas, tem ocupado cargos de enorme responsabilidade em prestigiadas empresas de Engenharia e Consórcios Internacionais, tendo estado envolvido em algumas das mais importantes obras públicas construídas nestes últimos 20 anos.
Assim, na FBO, foi responsável por grande parte da construção do Centro Cultural de Belém; e depois Coordenador da Área Técnica da Ligação Ferroviária do Eixo Norte-Sul.
Entre 2001 e 2005 foi viver para o Porto, pois assumiu as funções de Director do Consórcio Internacional de Fiscalização das obras do Metro do Porto (um consórcio composto por algumas das mais prestigiadas empresas a nível mundial para um empreendimento no valor de cerca de 900 milhões de euros!), tarefa extremamente melindrosa que desempenhou de forma absolutamente notável.
Em 2006 regressou a Lisboa, como Director do Departamento de Gestão e Fiscalização da Gibb Portugal SA.
Passado algum tempo mudou-se para outro grupo internacional de grande prestígio (onde ainda hoje se encontra): o Grupo Consulgal SA, com empreendimentos de grande vulto em muitos países de vários continentes (entre os quais Emiratos Árabes Unidos, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Macau, Brasil, Roménia, Hungria) que tem levado a cabo obras de grande vulto (pontes, aeroportos, vias férreas, etc.)
Não tenho dúvidas em afirmar que o Zé Dores é, sem exagero, um profissional abolutamente extraordinário, um dos mais competentes, honestos e trabalhadores engenheiros civis portugueses.
Tenho por ele uma enorme amizade e admiração e muito orgulho por o ter como meu Cunhado e, sobretudo, como meu Amigo.

(Se eu estivesse no lugar do Carlos e do Fernando Freire tentaria “desviá-lo”, pois seria, com toda a certeza, um excelente reforço para a equipa!...).

É curioso registar que o Tó e o Zé são, indirectamente, dois dos responsáveis pela mudança de nome do Bairro, de Marechal Carmona para Norton de Matos... Mas são, acima de tudo, dois homens que demonstraram enorme coragem e altruísmo, ao arriscarem as vidas e as carreiras para que em Portugal houvesse Democracia e Liberdade!

E agora aqui vão as informações para todos os amigos dos Irmãos Dores registarem:

- o Tó faz anos a 4 de Janeiro (completou 64 aninhos o mês passado). O seu endereço de e-mail é
ant.dores@clix.pt

- o Zé pertence à magnífica colheita de 1949 (em que, modestamente, também me incluo). Vai tornar-se um catita SEXYgenário no próximo dia 19 de Maio. O respectivo endereço de e-mail é:
rocha.dores@consulgal.pt

Sugiro que os muitos amigos que eles têm lhes façam a surpresa de lhes enviar mensagens, pois estou seguro de que isso os deixará muito felizes.

Para já apenas disponibilizo uma imagem recente do Zé e sua consorte (a minha Irmã Maria Clara), mas prometo que vou tentar aqui colocar também fotografias actuais do Tó Dores, logo que as descubra.

Um abraço para todos (especialmente para os que têm tido a gentileza de saudar a minha entrada neste tão acolhedor espaço de convívio), do

Jorge Castilho

Etiquetas:

Aniversariantes de FEVEREIRO



Para que o pessoal comece a preparar as prendas

FEVEREIRO


Alfredo Vieira Moreirinhas – 01-02-47

Clara Parente ( Oliveira) - 02-02-50

Vasco Canhão Ágoas – 09-02-45

Fernanda Sarmento - 10-02-1921

Carlos Parente - 11-02-195??

Carlos Costa Freire – 12-02-49

ao vivo e em directo um novo sexagenário no dia do almoço sulista!!!!!

Ana Maria Roque – 15-02-47

Jean Yves - 20-02-47

Zé Santos Bento – 23-02-45

Laura Sarmento - 23-02-1962

Maricota Neves - 24-02-48

BobbyZé Oliveira – 26-02-48

Jose Afonso Costa – 28-02-43



Nota:Esperamos que quem nasceu em Fevereiro ainda se acuse

Etiquetas:

Referer.org